Minha Frase preferida desde o mes de julho de 2013


"A felicidade de um amigo deleita-nos. Enriquece-nos. Não nos tira nada. Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade) não existe." Jean Cocteau

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Fernando Melis na sexta feira Abrindo as Comemorações de 2 anos de Blog Espelhando Espalhando Amigos











A convite da Cátia – minha amiga querida e anfitriã dos colunistas do Espalhando –, venho aqui para comemorar o segundo aniversário deste festejado espaço, matar saudades dos leitores que acompanhavam minhas dicas de informática e receitas culinárias e deixar um abraço especial aos gatos-pingados que passaram a frequentar meu humilde site.

Colho o ensejo para lembrar que, de todas as versões do Windows, o Seven é a mais amigável – quem continua fiel ao (saudoso) XP não sabe o que está perdendo, e àqueles que tencionam migrar diretamente para o Eight (cujo lançamento comercial está previsto para o segundo semestre deste ano), recomendo baixar a bola: como diz um velho ditado hacker, os pioneiros são reconhecidos pela flecha espetada no peito.

Depois dessa singela – mas oportuna – “dica de informática”, passemos à receita culinária da vez, sem a qual esta postagem não estaria completa. Antes, porém, cumpre mencionar que sou paulistano “da gema”, mas sempre gostei muito do Rio e durante anos dividi meu tempo entre as duas cidades. Quando lá, sentia falta da pizza daqui (que considero a melhor do Brasil); quando cá, tinha saudade das casas árabes do Leblon, onde os quibes eram (quase) tão bons quantos os da minha finada tia Latifa. No entanto, mesclando diversas dicas e receitas, cheguei à seguinte "formula": 



Ingredientes:



1 kg de patinho – bem limpo e moído duas vezes (prepare em seguida, para evitar que a carne perca o frescor e fique escura).

½ Kg de trigo para quibe (fino e de boa qualidade);

3 cebolas grandes;

4 dentes de alho;

2 colheres (sopa) de tempero árabe (canela, noz-moscada, cominho e pimenta da Jamaica, moídas e misturadas em partes iguais);

1 xícara (chá) de salsinha fresca;

1 xícara (chá) de hortelã bem fresquinha (use só as folhas);

Sal a gosto.



Preparo:



Lave bem o trigo (repita a operação até a água ficar limpa) e deixe de molho por aproximadamente 15 minutos. Enquanto isso, pique, processe ou bata no liquidificador o alho, as cebolas, a salsinha e a hortelã, junte a carne, regue com um fio de azeite extravirgem, acrescente o tempero árabe, acerte o ponto do sal e torne a processar por mais 30 segundos. Ao final, escorra a água, passe o trigo por uma peneira (ou pano limpo) e esprema até remover toda a umidade.

Neste ponto, existem duas possibilidades: Se você for fazer quibes crus ou de bandeja, junte toda a carne temperada e processada ao trigo lavado e escorrido, molhe as mãos em água gelada, misture até obter uma pasta homogênea, cubra com um pano e deixe no refrigerador por aproximadamente ½ hora. Já se a idéia for fazer quibes fritos, divida a carne em duas porções iguais, junte o trigo escorrido a uma delas e proceda conforme o tópico anterior. Enquanto a massa descansa na geladeira, derreta uma colher (sopa) de manteiga – com um fio de azeite para não queimar –, doure duas cebolas grandes raladas e cozinhe a metade remanescente da carne temperada e processada. Acerte o ponto do sal, adicione duas colheres de suco de limão, pimenta do reino a gosto e reserve.



Montagem:


Ao cabo dos 30 minutos, retire a tigela da geladeira, torne a molhar as mãos em água gelada e molde os quibes crus (ilustração à direita) no tamanho e formato desejados. Depois, decore cada um deles com uma folha de hortelã e sirva com pão sírio, cebola (em pétalas ou rodelas), limão (em gomos ou fatias) e azeite extravirgem à vontade.






Para o quibe de bandeja (ilustração à esquerda), divida a massa em duas partes, espalhe uma delas numa travessa refratária untada, adicione uma camada de cebola picadinha refogada na manteiga, cubra com a outra parte, pincele com manteiga manteiga, risque desenhos em forma de losango e leve ao forno (pré-aquecido a 180º) por cerca de 40 minutos ou até que a superfície fique dourada. Corte então os losangos e sirva quente, com o acompanhamento de sua preferência.







Já para quibes fritos (ilustração à esquerda), molhe as mãos em água gelada, faça bolinhas de massa com aproximadamente 5cm de diâmetro, fure-as com o dedo indicador, rode-as na palma da mão até que assumam o formato de um pequeno ovo de páscoa, adicione o recheio que você preparou, feche as pontas e frite em óleo bem quente (ou congele para fritar em outra oportunidade).


Enfeite com folhas de hortelã e sirva com gomos de limão para espremer e pimenta tabasco (há quem prefira mostarda e ketchup).





Observação: Experimente
 substituir o recheio de carne moída
 por uma colherada de requeijão ou por um Polenguinho sabor gorgonzola.



Um grande abraço a todos e até uma próxima oportunidade.
Fernando Melis


VISITE MEU BLOG HTTP://FERNANDOMELIS.BLOGSPOT.COM.BR
http://fernandomelis.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que bom que veio, fique a vontade o quanto desejar.
Se apenas leem eu gosto. Mas se comentam eu adoro!
Volte sempre para o abraço entre sonhos e delírios
Catiaho Alc/Reflexo dAlma
http://reflexodalma.blogspot.com/
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com/
,

Venho aqui e Olho pro amanhã dessa forma: com ALEGRIA!

Venho aqui e Olho pro amanhã dessa forma: com ALEGRIA!
Já caminhei muito tempo sem me dar conta do quanto é importante o que eu sei, quero e posso. Passei muio tempo dando prioridade a todos ao meu redor. Daqui pra frente meu olhar obedece a uma nova perspectiva, pois minha palavra de ordem é ALEGRIA.Não quero e não vou viver mais um segundo sem esse ingrediente essencial.. Experimentem e depois de contem o resultado. CatiahoAlc, terça feira 05 de janeiro de 2015

Eu sempre entre meus sonhos realizados e meus delírios incessantes...

Eu sempre entre meus sonhos realizados e meus delírios incessantes...