Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Desassossego (Poesia e um pouco do meu gosto musical)






A boca 
Que seca e não de 
Sede
As mãos 
Que tremem mas não de 
Ansiedade 
Os pensamentos 
Que fogem sem se poder 
Conter
Os olhos 
Que olham e não 
Vêem 
O ouvido 
Escuta mas nada 
Ouve
Espera 
Que não chega ao 
Fim
Assim leva-se a 
Vida
Brincando de 
Viver 
Sonhando em 
Querer
E a boca 
Continua seca
As mãos 
Nada conseguem conter
Os pensamentos 
Se perdem sem 
Saber
Olhos fixam no 
Nada
Sozinho é a forma de 
Seguir
Caminho 
Sem trilha pra 
Percorrer 

CatiahoAlc./Reflexo d'Alma
1012071213

 Um pouco dos meus pontos e nuances:
Eu tenho, como muitos devem ter; muitas musicas ligadas a minha história de vida.
Até a adolescência eu entre os terrores familiares da vida que eu tinha e a vida escolar eu adorava aproveitar a casa vazia, o que só acontecia uma vez por semana para arrumar a casa enquanto ouvia as hoje extintas Radio Mundial ou a Radio Jornal do Brasil. Assim eu alegrava minha limitada vida; adorava ouvir Elvis em especial. Era muito bom. Na verdade Eu misturava ouvir musicas estrangeiras (pois eu não sabia nadinha de inglês) e Eu e cantava as musicas nacionais daquela época. Já juventude me envolvi em questões religiosas e me deixei equivocar sobre gostos, costumes, cultura e as coisas da religião e me afastei por mais de 20 anos de 99% da vida real. Passado o tempo  nos últimos 17 anos eu voltei a vida real e mergulhei em tudo de bom que a vida real e de gente normal pode proporcionar e ai então as 2 rádios que eu gostava de ouvir já não existiam mais, não na forma original do meu tempo de adolescente. 
E tem sido bom ouvir letristas e músicos dessa minha atual e maravilhosa época. 
É por isso que gosto de somar a vocês meus gostos musicais.
Zeca Baleiro é um deles.
Palavras e Silêncio
Zeca Baleiro
  

Não se move uma montanha
Por um pálido pedido
De alguém que não se ama
Todo ouro está contigo
Para isso há muita chama
No coração do bandido

Mais uma vez o dia chega
Em minha vida
Como uma chama na selva
O sol na cama da relva
A tua boca e a lua
A minha boca e a tua
Vão deixando pela rua
Palavras e silêncios
Que jamais se encontrarão

Adicionar à playlist
Tamanho
A
A
Cifra
Imprimir
Corrigir

domingo, 28 de janeiro de 2018

Esperar...Esperar...virtude de quem ama


Diante  do infinito deitava
Suspiros de medo misto de tudo
Vontade de nunca mais ter que esperar
Deixar-se morrer ali mesmo
Era  o que de fato 
tinha

Mas que esperança tem quem ama
Se não a virtude da espera
Seja do que não veio
Seja do que não virá nunca
Mas espera lembra 
esperança

Depois da chuva dizem vir a bonança
Mas na verdade o que surge 
É o belo arco íris
Que embeleza e colori
Exatamente ali na ponta do
 horizonte

Esperança 
de quem  se dispõe a amar
É pro horizonte infinito olhar
e com coração apertado
esperar 
esperar...
CatiahoAlc./Reflexo d'Alma 
entre sonhos e delírios




Uma linda canção em video e letra:
Epitafio
Titãs
Essa canção é um marco na minha vida.
Toda vez que a ouço eu viajo lindamente e tenho a pratica da mesma
no meu dia a dia




Epitáfio
Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier
O acaso

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Apenas me deixo sentir...



Uma nuvem leve e transparente encobre meu ser
É algo tão suave e tão bom que apenas me deixo ficar...
Pela mente apenas passam lembranças e sentimentos bons
Momentos que valem a pena serem lembrados
Que elevam e constroem.
Sim constroem pontes que me interligam a mim mesma
E assim os sonhos fluem e se tornam realizáveis.
As possibilidades de encanto são reais
Os desejos que eram apenas vontades
Agora tomam o controle e tudo se faz sensações.
E sinto
Sinto a mim, sinto você,
Sinto a vida, sinto essa brisa
sinto o cheiro do mar,
Sinto areia seca,sinto a areia molhada
Sinto as ondas,
Sinto a água que acaricia meus pés,
seus pés,
nossos pés.
E no meio dessa nuvem que aguça os sentidos
Apenas me deixo ficar
E me entrego a sentir
Apenas sentir....
Catiaho Alc./Reflexo d'Alma 
0856/2008

Todas Elas juntas Num Só Ser

Lenine



Não canto mais Babete nem Domingas
Nem Xica nem Tereza de Ben Jor
Nem Drão nem Flora do baiano Gil
Nem Ana, nem Luiza do maior
Já não homenageio Januária
Joana, Ana, Bárbara de Chico
Nem Yoko, a nipônica de Lennon
Nem a cabocla de Tinoco e de Tonico
Nem a tigresa nem a Vera Gata
Nem a branquinha de Caetano
Nem mesmo a linda flor de Luiz Gonzaga
Rosinha do sertão pernambucano
Nem Risoflora, a flor de Chico Science
Nenhuma continua nos meus planos
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett
Nem Anna Júlia do Los Hermanos
Só você, hoje eu canto só você
Só você, que eu quero, porque quero
Por querer
Não canto de Melô Pérola Negra
De Brown e Herbert, nem uma brasileira
De Ari, nem a baiana nem Maria
Nem a Iaiá também, nem minha faceira
De Dorival, nem Dora nem Marina
Nem a morena de Itapoã
Divina garota de Ipanema
Nem Iracema de Adoniran
De Jackson do Pandeiro nem Cremilda
De Michael Jackson nem a Billie Jean
De Jimi Hendrix nem a doce Angel
Nem Ângela nem Lígia, de Jobim
Nem Lia, Lily Braun, nem Beatriz
Das doze deusas de Edu e Chico
Até das trinta Leilas de Donato
E da Layla, de Clapton, eu abdico
Só você, canto e toco só você
Só você que nem você ninguém mais pode haver
Nem a namoradinha de um amigo
E nem a amada amante de Roberto
E nem Michelle-me-belle, do beattle Paul
Nem Isabel, Bebel, de João Gilberto
Nem B.B., La femme de Serge Gainsbourg
Nem de Totó na Malafemmena
Nem a Iaiá de Zeca Pagodinho
Nem a mulata mulatinha de Lalá
E nem a carioca de Vinícius
E nem a tropicana de Alceu
E nem a escurinha de Geraldo
E nem a pastorinha de Noel
E nem a namorada de Carlinhos
E nem a superstar do Tremendão
E nem a malaguenha de Lecuona
E nem a popozuda do Tigrão
Só você, hoje elejo e elogio só você
Só você, que nem você não há nem quem nem quê
De Haroldo Lobo com Wilson Batista
De Mário Lago e Ataulfo Alves
Não canto nem Emília nem Amélia
Nenhuma tem meus ''vivas'' e meus ''salves''!
E nem Angie, do stone Mick Jagger
E nem Roxanne, de Sting, do Police
E nem a mina do mamona Dinho
E nem as mina pá do mano Xis!
Loira de Hervê, Loira do É O Tchan
Lôra de Gabriel, o Pensador
Laura de Mercer, Laura de Braguinha
Laura de Daniel, o trovador
Ana do Rei e Ana de Djavan
Ana do outro Rei, o do Baião
Nenhuma delas hoje cantarei
Só outra reina no meu coração
Só você, rainha aqui é só você
Só você a musa dentre as musas de A a Z
Se um dia me surgisse uma moça dessas
Que com seus dotes e seus dons
Inspira parte dos compositores
Na arte das palavras e dos sons
Tal como Madallene, de Jacques Brel
Ou como Madalena de Martinho
Ou Mabellene, a sixteen de Chuck Berry
Ou a manequim do tímido Paulinho
Ou como de Caymmi, a moça prosa
E a musa inspiradora Doralice
Se me surgisse uma moça dessas
Confesso que eu talvez não resistisse
Mas veja bem, meu bem, minha querida
Isso seria só por uma vez
Uma vez só em toda a minha vida
Ou talvez duas, mas não mais que três!
Só você, mais que tudo é só você
Só você, as coisas mais queridas você é
Você pra mim é o sol da minha noite
É como a rosa luz de Pixinguinha
É como a estrela pura aparecida
A estrela a refulgir do Poetinha
Você, ó flor, é como a nuvem calma
No céu da alma de Luiz Vieira
Você é como a luz do sol da vida
De Stevie Wonder, ó minha parceira
Você é pra mim o meu amor
Crescendo como mato em campos vastos
Mais que a Gatinha pra Erasmo Carlos
Mais que a cigana pra Ronaldo Bastos
Mais que a divina dama pra Cartola
Que a Domna pra Ventadorn, Bernart
Que a Honey Baby para Waly Salomão
E a Funny Valentine para Lorenz Hart!
Só você, mais que tudo e todas, é só você
Só você, que é todas elas juntas num só ser!


quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

O Fio





Este fio invisível
Em palavras indizíveis
 No coração em batimentos intraduzíveis

Eu que não busquei
Apenas enxerguei
 O que em palavras me ver fez

Sei quem sou
Sei ser possível por ser
 Quem é você que vejo ser

CatiahoAlc./Reflexod’Alma 
0912011 2155 Porto Seguro

Abaixo o Vídeo do Leoni
e mais a baixo dele  a letra de uma canção que
me trás lembranças boas de gente que amo.
FOTOGRAFIA



Fotografia
(Leoni/Leo Jaime)


Hoje o mar faz onda feito criança
No balanço calmo a gente descansa
Nessas horas dorme longe a lembrança
De ser feliz

Quando a tarde toma a gente nos braços
Sopra um vento que dissolve o cansaço
E é o avesso do esforço que eu faço
Pra ser feliz 

O que vai ficar na fotografia
São os laços invisíveis que havia

As cores, figuras, motivos
O sol passando sobre os amigos
Histórias, bebidas, sorrisos
E afeto em frente ao mar.

Quando as sombras vão ficando compridas
Enchendo a casa de silêncio e preguiça
Nessas horas é que Deus deixa pistas
Pra eu ser feliz

E quando o dia não passar de um retrato
Colorindo de saudade o meu quarto
Só aí vou ter certeza de fato
Que eu fui feliz

O que vai ficar na fotografia
São os laços invisíveis que havia

As cores, figuras, motivos
O sol passando sobre os amigos
Histórias, bebidas, sorrisos
E afeto em frente ao mar.

PRA VC ERIKA! https://www.cifraclub.com.br/leoni/fotografia/

Fotografia

Leoni

Cifra: Principal
exibições215.714
Tom: B
Intro 4x: B  B7M  B6  B7M
   B        B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-4--4--4--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2-----------------
E|-----------------------------------------
   B6       B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-1--1--1--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------


Primeira Parte:

B      B7M             B6      B7M
  Hoje o mar faz onda feito criança
B     B7M             B6       B7M
  No balanço calmo a gente descansa
C#m     C#m7            C#m7(13)    C#m7
    Nessas horas dorme longe a lembrança
    B     B7M  B6  B7M
De ser feliz

B        B7M             B6         B7M
  Quando a tarde toma a gente nos braços
B       B7M              B6         B7M
  Sopra um vento que dissolve o cansaço
C#m     C#m7         C#m7(13)     C#m7
    É o avesso do esforço que eu faço
 B     B7M  B6  B7M
Pra ser feliz
   B        B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-4--4--4--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------
   B6       B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-1--1--1--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------
   B        B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-4--4--4--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------
   B6       B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-1--1--1--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------
   C#m      C#m7
E|-----------------------------------------
B|-5---------------------------------------
G|-6--6--6--4--4--4--4---------------------
D|-6--6--6--6--6--6--6---------------------
A|-4--------4-----------4------------------
E|-----------------------------------------
   C#m7(13) C#m7
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-3--3--3--4--4--4--4---------------------
D|-6--6--6--6--6--6--6---------------------
A|-4--------4-----------4------------------
E|-----------------------------------------
   B        B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-4--4--4--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------
   B6       B7M
E|-----------------------------------------
B|-4---------------------------------------
G|-1--1--1--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-2--------2-----------2------------------
E|-----------------------------------------


Segunda Parte:

E                     F#7(11)
  O que vai ficar na fotografia
E/G#                   F#/A#
     São os laços invisíveis que havia
   E
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-1--1--1--1--1--1--1--1------------------
D|-2--2--2--2--2--2--2--2------------------
A|-2--2--2--2--2--2--2--2------------------
E|-0--------0--------0---------------------
   F#7(11)
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-3--3--3--3--3--3--3--3------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4--4------------------
A|-4--4--4--4--4--4--4--4------------------
E|-2---------2--------2--------------------
   E/G#
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-1--1--1--1--1--1--1--1------------------
D|-2--2--2--2--2--2--2--2------------------
A|-X--X--X--X--X--X--X--X------------------
E|-4--------4--------4---------------------
   F#/A#
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-3--3--3--3--3--3--3--3------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4--4------------------
A|-X--X--X--X--X--X--X--4------------------
E|-6--------6--------6---------------------


Refrão:

B4     F#4(7)   E      F#7(11)
   As cores, figuras, motivos
B4    F#4(7)       E       F#7(11)
   O sol passando sobre os amigos
B4     F#4(7)    E      F#7(11)
   Histórias, bebidas, sorrisos
                    E   F#4(7)  F#7(11)
E afeto em frente ao mar.

Intro: B  B7M  B6  B7M

Primeira Parte com variação na letra:

B        B7M             B6          B7M
  Quando as sombras vão ficando compridas
B          B7M          B6           B7M
  Enchendo a casa de silêncio e preguiça
C#m     C#m7            C#m7(13)   C#m7
    Nessas horas é que Deus deixa pistas
B     B7M       B6  B7M
  Pra eu ser feliz
B          B7M           B6           B7M
  E quando o dia não passar de um retrato
B    B7M           B6          B7M
  Colorindo de saudade o meu quarto
C#m    C#m7           C#m7(13)  C#m7
    Só aí vou ter certeza de   fato
B     B7M       B6  B7M
  Que eu fui feliz

Segunda Parte:

E                     F#7(11)
  O que vai ficar na fotografia
E/G#                   F#/A#
     São os laços invisíveis que havia

Refrão:

B4     F#4(7)   E      F#7(11)
   As cores, figuras, motivos
B4    F#4(7)       E       F#7(11)
   O sol passando sobre os amigos
B4     F#4(7)    E      F#7(11)
   Histórias, bebidas, sorrisos
                    E   F#4(7)  F#7(11)
E afeto em frente ao mar.

Refrão com variação:

B4     F#4(7)   E      F#7(11)
   As cores, figuras, motivos
B4    F#4(7)       E       F#7(11)
   O sol passando sobre os amigos
B4     F#4(7)    E      F#7(11)
   Histórias, bebidas, sorrisos
                    G#m7  G#m7(9)  G#m7  G#m7(9)
E afeto em frente ao mar.

( G#m7  G#m7(9)  G#m7  G#m7(9) )
   G#m7     G#m7(9)
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-4--4--4--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-----------------------------------------
E|-4--------4-----------4------------------
   G#m7     G#m7(9)
E|-----------------------------------------
B|-----------------------------------------
G|-1--1--1--3--3--3--3---------------------
D|-4--4--4--4--4--4--4---------------------
A|-----------------------------------------
E|-4--------4-----------4------------------


terça-feira, 23 de janeiro de 2018

CONFIRAM: INFORMAÇÕES NO SITE DA ACADEMIA. ESCLARECIMENTOS DE DÚVIDAS CASO NECESSÁRIO NOS COMENTÁRIOS OU NO EMAIL catiaho@hotmail.com

SITE DA  OFICIAL ACADEMIA TIJUQUENSE DE LETRAS
www.academiatj.org.br/images/CRUZ-E-SOUSA-2018.
CLIQUEM AQUI www.academiatj.org.br/
  E IRÃO DIRETO A PAGINA DA ACADEMIA

Boa tarde Amigos Leitores.
O Concurso Literário é para quem desejar participar.
Para tal preciso do endereço de email do partipante
 para enviar as regras(edital).
Pode enviar seu endereço de email para o meu catiaho@hotmail.com.
Estou capacitada e habilitada pela Oficial Academia Tijuquense  de Letras para prestar todo e qualquer esclarecimento. Uma vez que sou Acadêmica Correspondente da mesma há vários anos representando o meu estado no Brasil que é o Espírito Santo, me foi conferida a responsabilidade e
a honra de Curadora dessa fase do Concurso Literário.


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Apenas me deixo sentir...



Uma nuvem leve e transparente encobre meu ser
É algo tão suave e tão bom que apenas me deixo ficar
Pela mente apenas passam lembranças e sentimentos bons
Momentos que valem a pena serem lembrados
Que elevam e constroem
Sim constroem pontes que me interligam a mim mesma
E assim os sonhos fluem e se tornam realizáveis
As possibilidades de encanto são reais
Os desejos que eram apenas vontades
Agora tomam o controle e tudo se faz sensações.
E sinto
A mim
A você
A vida
Essa brisa
O cheiro do mar
A areia seca ou molhada
Sinto 
As ondas
A água que acaricia meus pés
Seus pés,
Nossos pés.
E no meio dessa nuvem 
Que aguça os sentidos
Apenas me deixo ficar
E me entrego a sentir
Apenas sentir
Catiaho Alc./Reflexo d'Alma 
0085620080
Vídeo do meu Caçula Interpretando

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

sE eU tIvEsSe Poesia+ Texto+ Musica 👀 (ESCRITA PARA TODOS OS GOSTOS CADA UM LÊ O QUE DESEJAR),



sE Eu tivesse satisfações a dar
a qualquer um ser que fosse
sE eu jurasse
jUro Eu daria
tOdavia  não tenho
pOr isso vivo bem
eXercito a alegria
dEsfrutando do prazer
sIgo meu caminho cantarolando
aLegremente melodias 
sEgundo meu querer
aProveito as estações
mErgulho no mar 
qUase todas manhãs
cAminho e me exercíto
fAzendo par com o que me tem
dEssa forma a vida é possível
sEguir em frente sem satisfações
a Dar a ninguém
mInha paz eu mesma crio
dAs guerras sigo pra além
eScolhi poeta ser
eSssa é averdade que
mE convém
CatiahoAlc./ReflexodAlma
entre sonhos e delírios
 

Dessa Forma


Como muitos que leem nessa pagina há alguns anos, extamente
há quase  oito anos, Eu escrevo desde sempre, entretanto desde 2006 
quando meus dois filhos fizeram a primeira viagem internacional
para Arabia Saudita como artistas circenses, só aí me dei conta de
que escrever é minha arte. Eu já escrevia profissionalmente há 20 anos
para teatro, tínhamos uma Cia Teatral dentro da nossa empresa de Produções Artísticas. Os textos para teatro que escrevia eram para todas as categorias: infantil, infanto juvenil, adulto, comedias, adaptações de fabulas, surrealistas... Eu recebia as encomendas e escrevia, encenava e entregava o produto para as apresentações. Entretanto eu não entendia o valor literário do serviço prestado. O pagamento pelos trabalhos ia para a empresa, de onde vinha o sustento
da nossa familia. Aquele era um tempo onde a cultura do RJ fervilhava
e era possivel aos pequenos como nós ( empresa) sobreviver.
Quando entendi os filhos  adultos e independentes, então deixei de escrever para teatro e mergulhei
de cabeça na escrita boa da poesia. Cheguei a montar em teatro um grande espetáculo de nome Fragmentos, onde eu reunia poesias minhas e de dois outros artistas, mais um musico que ao vivo executava suas canções enquanto o elenco de teatro interpretava as poesias de forma linda.
Deixando de morar no RJ em 2007, deixei para trás a escrita teatral que hoje são vários livros aguardando a hora de serem publicados. Aqui na terra por mim chamada Pasargada, (sem acento mesmo) eu desfiz laços e me assumi Poeta e me fiz Escritora e logo a seguir Editora e Assessora Editorial e hoje tenho a alegria e a honra de representar vaáios autores do Brasil e do Exterior.  . Recomendada e Indicada pela alma alma generosa e gentil do Escritor Tonni Lima; passei a representar o estado onde vivo como Academica Correspondente na Oficial Academia Tijuquense de Letras/SC.
Hoje eu vivo dias de serenidade e paz comigo mesma.
Resolvi que em 2018 vou seguir a pratica de tres palavras: Gratidão, Alegria e Cuidado.
Quando vou fazer meus exercícios diários , que antes eu fazia mais por prazer e hoje os faço para manutenção da saúde dos meus 55 anos, as pessoas brincam:
- Aí Hein! Na praia a essa hora?
Antes eu ficava sem graça com tais observações, porém hoje eu apenas aliso meus cabelos molhados de água do mar, sorrio e respondo: 
- É pra isso que a gente se aposenta!
E é incrível como essa resposta bem humorada acalma aos comentaristas que acenam sorrido e dizem:
- É isso ai.
Na verdade este é o  exercício daquelas três palavrinhas : 
→Gratidão a Deus pela vida que tenho hoje.
→Alegria por viver nessa terra que me conquistou de imediato durante os 10 dias passados em ferias aqui em 2006, nos quais 8 dias forma de chuvas.
→ Cuidado  comigo e com os outros
Profissionalmente eu me realizo  exatamente tendo "cuidados e cuidando" de cada Projeto de cada autor que confia a mim a tarefa de organizar para publicação a sua obra. Não faço esse trabalho de forma gratuita, e nem poderia faze-lo uma vez ser uma tarefa de muita responsabilidade assessorar alguém na realização de seu sonho, ainda mais na linha da Literatura Mundial e Brasileira. Pois é o que faço transformar textos de word em literatura, providenciar registros, tornar arquivos em livros de papel, entregar exemplares em universidades e centros de leitura e estudos.
Quanto a meu escrever e meu publicar, eles não pertencem ha um grupo de pessoas, eles pertencem ao Mundo, ao Universo por onde alguém gostar de ler. E dessa forma eu sigo como a Poesia acima descreve e cultivando de mãos dadas as 3 palavrinhas desse ano:
Gratidão ,
Alegria e 
Cuidado.
Obs.: decidi não aliar a palavra saudade a estas citadas, porque saudade é falta da presença (como diz Clarice, então quando a saudade dos que amo apertar, a gente ( nós e eles) damos um jeito de nos  reunirmos em algum lugar.
Saudade
(Clarice Lispector) 
"
Saudade é um pouco como fome. 
Só passa quando se come a presença. 
Mas às vezes a saudade é tão profunda 
que a presença é pouco: 
quer-se absorver a outra pessoa toda. 
Essa vontade de um ser o outro 
para uma unificação inteira 
é um dos sentimentos mais urgentes 
que se tem na vida"

Feliz prosseguimento de semana pra nós todos.
Vídeo com meu filho caçula interpretando uma canção que eu gosto

Folia No Quarto
O Teatro Mágico


Se água nos olhos do palhaço molha
Menina dos olhos abandonada

Boneca de pano, de pena, chora
Quando água nos olhos da gente escorre

Corre beirando boca, ribeirão
Dorme junto ao coração
Faz do peito cachoeira

Leva, lavando, me deixando leve
Que a certeza não escorregue
Feito pedra de sabão

Bola, vidro, janela, bronca, tapa
Dias e dias sem televisão
Fecho porta pra não escutar briga
E, também, pra briga não escutar minha canção

Que faço distraindo a vida
Vou traindo minha sina
Distraindo decisão
Falo coisas que as vezes não faço
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação

Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão

oda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão
Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto




.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações