Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Res pi ran do POesia ...





 A Vida é uma lição a cada instante; quem não estiver habilitado não deve se queixar ou ficar com aquela cara de paisagem.
  Ela se apresenta em tantas formas e possibilidades que não dá para suportar/justificar tantas queixas ou cabeças baixas.
Nenhum ser ao nascer assina ou assinam por ele um documento garantindo absolutamente nada! Até o último momento na bolha, dentro do útero ele é alimentado e garantido, mas  basta ser expulso/cuspido         ( porque é assim ); ou puxado para fora que a luta pelo viver bem, começa intensamente. Só os fortes sobrevivem: fato.
 Se a mãe não tiver bico no seio, feito para amamentar; a criança simplesmente esfola a carne e faz o bico aparecer a força. Se a mãe adormece pela falta de experiência ou pelo cansaço; a criança se arrasta, rola e dá um jeito de chegar até onde a fonte de alimentação está localizada. Não poucas dessas mães que adormecem de cansaço, acordam aterrorizadas com o bebê plugado no seio. Enlouquecidas elas pensam como o pior não aconteceu? É Deus? Também é Deus, mas é notoriamente a necessidade de sobreviver. Quando os bebês precisam/aceitam  o complemento alimentar, fica mais fácil, mesmo ainda estando as crianças sujeitas as alergias e intolerâncias causadas pelo leite animal ( o complemento normal e usual é de leite de vaca). Ainda assim a criança fica toda empolada, mas se adequa, o negócio é encher a barriguinha.
Por isso Eu amo ser uma sobrevivente.
Tenho cinco irmãos também sobreviventes, ficaram vivos a despeito da falta de condições financeiras, das condições precárias de saúde da nossa mãe, dos muitos espancamentos sofridos por ela durante e depois da gravidez de cada um de nós, causados pela falta de emprego e o desespero de um chefe de família que bebia para fugir da desonra da falta de emprego na área dele que causava falta do prover a família no básico..
Ser sobrevivente não nos dá o direito de culpar Deus, ou A Vida ou A Sociedade por nossas dificuldades e limitações. Creio em seres plenos com poderes de ir e vir, de se adequarem a qualquer das situações adversas impostas pela Vida.
Quero me ater à necessidade de nos aplumarmos diante das mudanças, seja ela uma morte, um desemprego ou mesmo uma vontade de recomeçar encarando novos desafios.
O Viver É um desafio que vale a pena encararmos, pois saímos de cada um deles mais fortes e com a cabeça erguida: seja pela honra ou pela autoestima.
Eu não vivo sob a égide de cobrar de outros que me entendam.
Que me desculpem por erros humanamente concebíveis.
Não tenho orgulho inútil ou essas desculpas para o isolamento.
Vivi muito tempo da minha vida de jovem, fechada, isolada aguardando que viessem estar comigo, só pra eu não atender e/ou me fazer de vítima.
Antes Eu não tinha conhecimento do meu real valor.
Tinha medo das pessoas.
Medo de me relacionar.
 E por conta dessa minha postura, me fizeram tanta maldade...
Nesse mês de abril descobri algo terrível, injusto, irreal e feio feito contra minha pessoa em 2006. Gente!,  10 anos depois eu soube o quanto mal alguém pode fazer a outras!? Acham mesmo que morri de chorar? Só que não.
 Pena eu ter descoberto somente mais de 10 anos depois, mas hoje 2018 eu estava preparada para saber do ocorrido e de dizer: Que pena que perderam tempo maquinando algo mentiroso e sem fundamento. Envenenaram a própria vida e a alma tão inutilmente.
Eu? Eu estou muito bem obrigada, como sempre: Vivendo minha vida sem sobressaltos e vendo o quanto a Vida é Bela. Moral da História: Eu não faço mais questão de nada na minha vida, se não do: Viver bem comigo mesma. E faço questão do estar ao lado dos que me quiserem por perto e junto.
O restante: É só poeira nos olhos. Mas precavida e preparada e logo me abstenho dessa contaminação
É isso
CatiahoAlc./Reflexod'Alma

Respi ran do POesia...
Dessa forma levo a vida
De Poesia em POesia
Deixo que alma traga
Novas sensações
Permito que as mãos
Leves e Livres
 es
cre
vam
como se faz
com a canção
Notas em Harmonia
melodia
certa pro coração
Quem lê toma pra si
Quem ouve também
Sente que tem que sentir
Seja o seu
ou
Amor Meu
res 
pi
rando 
POesia
sigo assim minha sina
Sou poeta encantada
com o
Brilho de toda
e qualquer
 POesia
Reflexo d'Alma entre Sonhos e Delírios
Teatro Mágico
Cuida de Mim
Esse é mar pela manhã na cidade aonde eu amo viver: Mar de Itapoan/ES/Brasil

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Tal qual Macbea (argumento de 2009 a luz de um livro de Clarice Lispector).


É uma viagem sem volta
Sem bilhete comprado
Ou quer segurança
Só mais uma viagem
Ao centro do ser
Sem vontades
E sem esperança
Sem hipóteses
Tal qual Macbea 

Até o momento que seu Futuro lhe
 É revelado
Nunca desejara era além do que era
Mas disseram que devia

 Então acreditou
E confiante seguiu adiante
Mergulhada nas promessas não proferidas
Porém sutilmente deixadas ao léu
Mera sugestão
Sem intenção aceitou
Deixou-se flertar com a doce ilusão
Tão doce quanto vinho vagabundo
Vivo vermelho

 Aromático
Até que o efeito se faça
Assim tal qual Macbea
se deixou a sorte da cartomante
Também se deixara nos braços da tal ilusão
Disfarçada sutilmente da tal esperança
Agora tem seu presente ali na sarjeta
Aos pés do ser que conduzia seu destino
Ta qual Macbea 

Olha e sorri
Porque nada além da morte
É possível para desfazer
Tal engano ao viver
CatiahoAlc/Reflexo d’
Alma 

1801271209
Canção muito especial
Teatro Mágico
Anjo Mais Veho






quis
muito
beijar
seus 
lábios
abraçar
teu
corpo
ficar
assim
quietos
até 
que 
desejo
nos
 movendo
tirasse
quietude
quis
lamber
teu
corpo
e
sussurrar
em
 teu 
ouvido
desejos
guardados
quis
não 
sei
se 
quero
mais
pela
primeira
vez
me
vejo 
de
cansada
demais
não
insisto
acho
que
desisto
Copyright©FragmentosdeSerLuaFlor
1 de abr de 2013

domingo, 22 de abril de 2018

A Vida É Nuvem passa passa & Apesar da Fé no outro, não perco mais tempo.


Algumas 
São azuis outras brancas 
algumas vezes todas cinzas.
Mas as nuvens do céu
 são ar e água que caem sobre nós
Já as nuvens do dia a dia
 que caem sobre nos
São densas e invisíveis
Passam
 por nos como problemas
E nos arrastam e arrasam
Temos que prestar atenção
Porque as nuvens do céu,
 tornam -se gotas e caem ....
E renovam a terra de alguma forma
Mas nossas nuvens do dia a dia
 podem nos derrubar
E acabar com nossos sonhos
Por isso
Nuvem passa passa
E nos dê alegria 
Quase tão rapido como fumaça
CatiahoAlc./Reflexod'Alma

Apesar da Fé não perco Tempo

Digo estar ficando velha e as pessoas riem desdizendo ou até mesmo reafirmando estar enganada. Eu Poderia dizer estar madura (só que tô, fazer o que? rs), mas aí seria e até sou, e já fui advertida muita e muitas vezes, vista como prepotente ou algo do gênero, como já aconteceu. 
Dizer ter o João ou  Maria amadurecido é fácil, pode ser apenas uma suposição, então as pessoas demostram suportar, afinal João ou Maria são os 'outros'. Na verdade  é um 'outro' sujeito. Mas quando esse sujeito, somos nós mesmos, aí não dá pra fazer cara boa e concordar sem antes abraçar como ofensa.  Eu olho no Espelho do meu tamanho, aquele que carrego comigo desde o tempo da escola de teatro e digo: - Mulher você amadureceu e Não são necessárias rugas nas linhas do rosto.
Esse amadurecimento me fez e me faz muito bem. Não preciso ter razão, mas também não preciso baixar minha cabeça porque os 'outros' tentam me subjugar e me rebaixar. Faz tempo e já afirmo não ser melhor nem pior que nenhuma outra pessoa. Apenas Sou mais um ser humano vivendo nessa estreita faixa denominada Vida e Vida em Sociedade.
Amadurecer é conviver bem com os próprios erros, limitações e anseios. Mario Quinta diz algo sobre ‘O segredo não é correr atrás das borboletas. E sim cuidar do jardim para que elas venham até você’. Se metaforizar essa sábia frase: 
Borboletas: Vida e acontecimentos de nosso anseio. 
Jardim: Nós, nossos atos e atitudes. 
Correr atrás: Ser imaturo e não ter calma para aguardar o tempo certo. Borboletas Virem até  o Jardim: Com maturidade ver a vida se metamorfoseando acontecendo diante de nós.
Tenho 56 anos muito bem vividos. Vivi todas as etapas com aprendizado gabaritado. Esperei 5 anos  para reabraçar uma pequena. Alonguei meu olhar para não ter a vontade de retroceder. Apanhei física e mentalmente injustamente e desnecessariamente mais que o necessário. Tenho no meu corpo cicatrizes físicas e emocionais o suficiente para não fazer muita questão de nada desnecessário. Leio ha mais tempo que escrevo. Sou ótima com as palavras lidas e as que escrevo. Leio, assimilo e aplico. Tenho estado na companhia de ótimos autores da literatura mundial e nacional. E a boa leitura me ensina a não investir meu tempo em desgastes inúteis ou em aceitar tudo. No tempo recente que passei adoentada me foi perguntado:
 - Catiaho, você não faz mais questão de nada? Desistiu de brigar? 
Eu respondi no alto da minha capacidade: 
- Descobri que brigar comigo mesma é desperdiçar tempo com o inútil. Tornaram a me perguntar: 
- Mas e a sua argumentação de vida? 
Respondi:
 - Apenas deixei de brigar para dialogar comigo mesma. Daí em diante ficou suave conviver e viver com  a pessoa mais difícil de estabelecer um dialogo que Sou eu Mesma. Parei e brigar e tenho tido altos diálogos. 
Então esperei a última pergunta:
- Mas Catiaho e os 'outros'? 
E eu amo quando fazem essa indagação, pois creio na frase  “Não há necessidade de grelhas, o inferno são os outros.” do  Jean-Paul Sartre SARTRE, J., Entre Quatro Paredes, 1945. 
E antes da pessoa insinuar que eu estava usando Sartre para  dizer serem os 'outros'  o inferno, eu já emendei. 
- Entendo essa sábia frase de Sartre dizendo que a nossa preocupação em obter  a opinião e a aceitação dos 'outros', fazem da nossa vida uma um inferno, uma desgraça de dias trágicos e dolorosos, uma grande confusão de sentimentos, indagações sem resposta e interpretações multifacetadas. 
Os 'outros' são importante, entretanto a nossa opinião sobre nós mesmos  nos tira do compasso de espera que é a grelha onde a 'paz de espírito' fica isolada, engessada e amordaçada, sem condições  de cumprir sua função que é de  nos favorecer.
Assim terminamos a 'conversa' , a pessoa visivelmente insatisfeita parou de me perguntar,  deu uma desculpa e foi embora, enquanto Eu voltei a meu estado de recuperação física satisfeita, não com as indagações do 'outro' mas sim como a minha postura, mesmo adoentada eu não me vitimizei ou recuei como fiz por muito tempo na minha vida sempre em favor dos 'outros'. Me por no lugar dos outros e avaliar como se sentiam era algo fundamental, sou ou melhor fui boa nisso, hoje não quero mais esse papel, cada um ocupe no seu  lugar.
Encerrando essa escritaconversa dessa postagem, Sou sem sobra de duvida minha maior conquista. Preciso dos 'outros' sim, mas não mais menos do que de mim, me sou essencial.
A frase ficou feria, mas o resultado me apraz.
CatiahoAlc./Reflexod’Alma
22 de abril de 2018
CANÇÕES REFLEXIVAS ASSOCIADAS A MEUTEXTO ACIMA
SÃO  LEVINHA PARA HOJE
RAFINHA ACÚSTICO EM MUSIQUINHA
E TREM BALA COM ANA VILELA





Todo desespero trás um pouco de esperança
Em todo travesseiro, um sonho de criança
Me chame pra brincar também

Vou pular a corda que procura o meu pescoço
Não vou dizer que gosto sem saber o gosto
Comer o chocolate antes do almoço
E te beijar depois de lambusar o rosto

Vou criar um mundo novo dentro de um salão
Convidar o lobo mal e o bicho papão
Conhecer também seu coração
Proteger o sentimento com bolinha de sabão

Vou me esconder tão perto que ninguém vai me perceber, no meu esconderijo também cabe você
Vou sentir o amor mais perto quando desistir de entender

Me abrace bem apertado pra caber nós dois
A gente fala baixinho pra sorrir depois
E quando o coração estiver batendo junto
Antes de escurecer, agente corre e salva o mundo





Trem - Bala
Ana Vilela

Não é sobre ter todas pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós
É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito é saber sonhar
Então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar
Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo e também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo em todas as situações
A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe pra perto de mim
Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás
Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir
Compositores: Ana Carolina Vilela Da Costa
Essa Foto é um pouco da Poesia, do Texto acima e das Canções, pois esses dois 'outros' nunca me pediram nada, nunca me julgaram e condenaram e apenas se deram a essa Poeta. Hoje (atualmente) ainda falo com Alfredo via internet (o lindo da esquerda da tela, mas  Marcelo (o da direita da tela esta cuidando de sua vida no Canada e não tenho mais acesso). Esses dois seres que conheci na Internet hoje são parte de vários capítulos da minha historia de amadurecimento que cito no texto principal)
Adicionar legenda



quinta-feira, 19 de abril de 2018

|0/ DI VOLTA |0/

Antes de qualquer outra frase ou argumentação minha, é importante frisar que:
Eu quero deixar claro que essa é uma
experiência pessoal e que somente a mim cabe a responsabilidade da escrita. 
Compartilho algo pessoal PUBLICAMENTE por minha vontade, conta e risco.
Sou grata a Deus por estar viva e aos amigos por ter minha auto estima em dia.
  CatiahoAlc., escritora blogueira e administradora desse blog e de alguns muitos outros.


Hoje; É o tempo de seguir em frente.

   Levamos nossas vidas como se nada pudesse nos abalar ou nos reter. Muitas vezes fazemos como fazem as crianças ou os jovens e pomos nossa veste de super heróis e seguimos em atitudes de que o mundo que se atreva a nos contrariar para ver só.
         Entretanto mesmo nos sentindo imortais sendo feitos de matéria, e em nossas veias correndo sangue levando vida a todo corpo estamos sujeitos aos efeitos do tempo, das estações e assolações do nosso tempo. No mês de janeiro (eu creio) li o livro de Albert Camus A Peste e fiquei assustada em como um fator relacionado a saúde publica pode fazer reféns por tanto tempo uma grande população. Mantive em mente a forma de como não temos muito para onde correr a não ser estarmos atentos. Li outros livros de janeiro até esse março leio três outros nesse mês de abril até na última sexta feira quando amanheci com a saúde abalada. 
    Sou dessas pessoas que acordam e ficam d’olhos fechados por um tempo passando a vida diante da mente, na verdade avaliando meus erros e acertos. Somente depois d’um tempo eu abro os olhos, passo meus olhos com doçura pelo que já me observa, dou um sorriso, ponho meus pés para fora da cama, me sento, respiro, me levanto equilibrando meu corpo sigo para a primeira  higiene do dia enquanto o café vai passando. Mas nessa última sexta feira 13 abril; além de a chuva desabar sobre o estado e especialmente na cidade aonde eu vivo e ficarmos ‘isolados’ sem o nosso ir e vir normal, meu corpo não respondeu, o sorriso não se desenhou em minha face e o caus se estabeleceu trazendo o cinza para meus próximos dias. Meu esposo cuidou de fazer cumprir as ordens médicas e do meu lado não saiu até ontem quando finalmente meu corpo respondeu positivamente.
         Por isso estou de volta hoje quinta feira dia 19 de abril, já com meu melhor sorriso na face, grata aos que torcem pelo meu melhor como: meu par, minha família de sangue e meus amigosafilhados mais chegados que irmãos, aos amigos leitores daqui do blog e aos profissionais que  trabalham comigo no dia a dia como o José Luiz (Design), o Uriel Rosso (Tradutor) e o autor Roberto Silva. Esses com calma aguardaram a minha melhora para finalização do trabalho que será apresentado no fim de maio em Santa Catarina na Oficial Academia Tijuquense de Letras por ocasião da posse dos Cinco Acadêmicos Correspondentes indicados por mim e aceitos pela Casa.
         Estou de volta e como diz a canção da Moça do Funk: É´ Hoje!


Hoje; É o tempo de seguir em frente.
 
É tempo
De arregaçar as mangas
De cumprir a parte a nós cabida
Hoje
É tempo de seguir o rumo
Escolhido
E não o imposto ou composto
Hoje a vida é um desafio aceito
Com efeito
E sem defeito
Pois o ontem é história
O Amanhã ainda será escrito
Mas o Hoje
Esse sim é de nossa
Total competência
No Sentir
No Agir
No
Re
Tri
Buir
E seguir
Adiante.
CatiahoAlc./Reflexd’Alma/TI

Canção para Hoje
Folia no meu quarto de Fernando Anitelli
com Wallace Kyosky's 
Produção WK Mundo


Tom: A
Intro: B9 B7+/9 G#m7 F#7

   B        E          G#m7  F#
Se água nos olhos do palhaço molha
   B        E          G#m7  F#
Menina dos olhos abandonados
   B        E            G#m7
Boneca de pano, de pena, chora
 F#    B         E               G#m7  F#
Quando água dos olhos da gente escorre

 F#                        B9
Corre beirando boca, ribeirão
      G#m7          E
Dorme junto ao coração

                  B9
Faz do peito cachoeira
F#/A#                       B9
Leva, lavando, me deixando leve
         G#m7             E
Que a certeza não escorregue
                 F# F#4 F#
Feito pedra de sabão

(vocalização) B9 B7+/9 G#m7 F#7 (4x)

B      E             G#m7    F#
Bola, vidro, janela, bronca, tapa
B            E         G#m7 F#
Dias e dias sem televisão
B           E              G#m7
Fecho porta pra não escutar briga
F#              B             E           G#m7 F#
E, também, pra briga não escutar nossa canção

     F#                B9
Que faço distraindo a vida
       G#m7         E
Vou traindo minha sina
               B9
Distraindo decisão
F#/A#                         B9
Falo coisas que ás vezes não faço
      G#m7         E                        F# F#4 F#
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação

(vocalização) B9 B7+/9 G#m7 F#7 (4x)

 E          B/D#
Todo ser seria
 C#m7       B
Todo rio riria
 C#m7       B
Toda flor folia
    A              F#
Abajour pra escuridão
 E          B/D#
Toda brincadeira
   Bm            A
Começa com alegria
       C#m7      B
Mas o sino do almoço
         A           F#
Troca o riso por feijão

( B9 B7+/9 G#m7 F#7 )
Quero mais... careta no retrato
Quero mais... folia no meu quarto

(B)



Me resolvi por subir na pedra mais alta
Pra te enxergar sorrindo da pedra mais alta
Contemplar teu ar, teu movimento, teu canto
Olhos feito pérola, cabelo feito manto

Sereia bonita sentada na pedra mais alta
To pensando em me jogar de cima da pedra mais alta
Vou mergulhar, talvez bater cabeça no fundo
Vou dar braçadas remar todos mares do mundo

O medo fica maior de cima da pedra mais alta
Sou tão pequenininho de cima da pedra mais alta
Me pareço conchinha ou será que conchinha acha que sou eu?
Tudo fica confuso de cima da pedra mais alta

Quero deitar na tua escama
Teu colo confessionário
De cima da pedra não se fala em horário
Bem sei da tua dificuldade na terra
Farei o possível pra morar contigo na pedra

Sereia bonita descansa teus braços em mim
Eu quero tua poesia teu tesouro escondido
Deixa a onda levar todo esboço de idéia de fim
Defina comigo o traçado do nosso sentido

Quero teu sonho visível da pedra mais alta
Quero gotas pequenas molhando a pedra mais alta
Quero a música rara o som doce choroso da flauta
Quero você inteira em minha metade de volta







.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações