Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012



SALA DE TV...

O motor rasgava as águas num gemido rouco. Avançava na intenção da praia batendo as ondas na imensidão do mar. Buscava,  através dos caminhos que antes navegara na constituição de uma vida regrada, a conquistas e poucos amores uma lembrança esquecida no passado. Horas a fio exposto ao sol pintando o corpo de dourado. Onda entortando a proa aspergindo água salgada na cara, temperando a pele. Vontade de ver, de olhar de novo. Saudade do toque, do arrepio, do abraço sem jeito, do beijo molhado, da falta de vergonha e do respeito. Do sorriso escachado, das safadezas no leito. Duas horas sem escutar o canto das gaivotas. Só o roncar do motor se podia ouvir.Apeou do barco para estancar os passos na chegada ao jardim. Muito perto da casa, antes caiada, hoje sem cor, muitas flores brancas marginavam o caminho, e na entrada, uma leva de rosas amarelas. Borboletas que mais pareciam pintadas numa tela, verdadeiras aquarelas, voavam numa rota estranha em torno do corpo dela. Trazia na testa prendendo os negros cabelos uma fita amarrada, tal qual uma donzela. Braços cruzados debruçada na janela como há tantos anos a sua espera. Um grito, um tiro, correria. Num sobressalto vazou de onde se estendia. A cidade em silêncio, nada se movia, só a tevê no último volume, um filme de bangue-bangue exibia. Não fosse esse pequeno impasse, com certeza ele dormia.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

OBJETIVO DO BLOG REFLEXO ESPELHANDO E ESPALHANDO AMIGOS


BJETIVO DO BLOG REFLEXO ESPELHANDO E ESPALHANDO AMIGOS

Este espaço tem por objetivo reunir ao redor da palavra os que chamam atenção pela escrita “afiada" ou por suas tendências diferentes. O grande desafio é juntar todos, há objetivo no período de férias reunir todos ou a maioria num lugar confortável, com suas famílias e amores. A idéia e ser um encontro bem gostoso e proveitoso. È fascinante a idéia de conhecer pessoalmente cada um, já tenho o privilégio e conhecer muitos de longa e de curta data. É importante que tenhamos noção que este é um espaço onde tenho a alegria de convidar quem achar que devo para postarmos” juntos”
Em nenhum momento pensei em me excluir de postar junto ou daqui ser um espaço aberto e público sem ligação entre o que é escrito. A escrita é antes de tudo algo de muito peso e responsabilidade, alguém precisa ser responsável e por isso puxo pra mim toda e qualquer responsabilidade, pois tenho registros profissionais de direção e produção artística que me habilitam para agir como tal.
Como já disse não é um Projeto e sim um Programa, e é importante mantermos a comunicação direta que temos tido via email tanto para sanar duvidas quanto ouvir sugestões que serão analisadas nas próximas etapas, nunca de imediato, pois trabalhamos todos em cima de um programado e não de forma aleatória e sem controle.
Bom lembrarmos que nosso combinado individualmente ao convidá-los é de que na medida do tempo disponível de cada um é que postemos “todos os domingos em Maratona Poética”, no período de 00.00(zero) às 18 horas e que comentemos não a um ou outro colega, mas que passemos em todos para prestigiar deixando um incentivo, nunca emitindo conceitos que definitivamente não somam, pois o prazer de ler não deve ser suprimido por interpretações equivocadas a que qualquer um de nós esta sujeito a fazer, é natural.
Termo-nos em honra aqui é muito importante, por isso conhecer a escrita uns dos outros se faz necessária, só honra quem conhece.
Encanta-me reunir seres que já escrevem há muito tempo com quem começou como eu outro dia, ou quem esta começando exatamente aqui. Essa mistura de fato é o objetivo cumprido do meu envolvimento tão intenso com a Palavra e com Pessoas e aqui tem sido lindamente possível.
É lindo ver a integração entre as artes.
Na verdade estarmos aqui juntos deve sempre um doce encontro, uma festa, uma celebração...
Celebraremos a cada estréia e celebraremos também a cada despedida, porque sempre nos ficará marcado na lembrança os bons momentos e para isso a cada um que precisar ir, seus textos serão guardados e caso voltem a postar conosco, eles voltam também a serem exibidos, bem como os comentários. É uma forma de guardar os bons momentos e de minimizar nosso sofrimento pela partida...
E vamos em frente, mas sempre entre Sonhos e Delírios.
Catiaho Reflexo d'Alma

Quem passou pelo blog em 2011 e 2012


Lu Cidreira Blog do Lu Cidreira do Blog

Antonio Touché EMAILSKEURECEBO II

Fernando Melis do Blog Informática - Dicas de Fernando Melis

Paulo Francisco do Blog Cores e Nome e Da varanda da Minha Casa

Elcio Tuiribepi do Blog Verseiro

Carlos Soares do Blog Menino Beija Flor

Carlos Soares do Blog Menino Beija Flor 

Lopes da Fonte do Blog Outros Quartos

Américo do Sul do Blog americodosul

Francisco Settineri do Blog Poesia Porto Alegria

Samuel Balbinot do Blog Lapidando Versos

Maratona Poética de domingo 20 de maio de 2012

domingo, 30 de dezembro de 2012

MISTÉRIOS DA LUXÚRIA


MISTÉRIOS DA LUXÚRIA

Mistérios da luxúria destronada;
Prazeres de valor material...
Tão insignificantes na jornada
Terrena... somos sombras neste astral;          

Buscas na terra mórbida do nada;
Nenhum achado de valia real;
Tesouros enterrados na gelada
Terra dos seres que buscam o irreal;

Luzes maravilhosas, solitárias;
Jardim da fantasia, que arrepia…
Mansões funéreas, luxos de agonia;

Lutos profundos, de vozes funéreas;
Castelos esculpidos na tristeza;
Castelos sepulcrais na natureza;

08-11-09 Soneto




DENTE DE SABRE.


DENTE DE SABRE.

Eu tentei a prevenção para não ter a surpresa que tenho agora. Fui ao dentista, troquei de profissional, paguei o que me pediram sem discutir preço e, no entanto estou assim, triste, constrangido. Caso eu não tivesse feito nada, se tivesse ficado aqui sentado a espera que a natureza corrigisse o que ela mesma destruiu, talvez eu não ligasse tanto, mas fiz o que qualquer um faria no meu lugar. Pena é que os profissionais que eu encontrei nesta cidade não tiveram a mesma sorte que eu precisava quando a eles o problema foi apresentado. Agora resta-me o silêncio. Calar é o que me basta e mesmo que insistam, através das palavras, hoje eu não me expressarei. Todos os dentistas estão de férias, só um protético restou para me socorrer até que a vida retorne ao normal, isso se o bumbo não anunciar antes o carnaval.
sexta-feira, 6 de janeiro de 201207/01/13 10:00

Diário do Medo na Existência

Sinopse
Numa tentativa de libertação dos medos que constantemente lhe afligem a alma, o autor e protagonista deste livro em forma de diário, faz uma breve passagem de vivencias históricas do antes e depois da revolução de Abril de 1974, onde a desilusão dos ideais revolucionários e sua prática na sociedade ficavam muito há quem da realidade.
A busca da liberdade existencial fazia-se no dia-a-dia, onde episódios pontuais mostram as amarras que prendem o protagonista.
O contacto com a natureza na sua forma mais pura indicou o caminho da libertação dos seus medos existenciais. Gentes simples e novos amigos fazem senti-lo um homem novo, sem medos relevantes.
A fuga da cidade para a serra é uma lufada de ar novo na sua vida, onde a tranquilidade do dia-a-dia evoca o seu poder criativo para as artes em geral.
Na sua nova morada, lida com os indígenas locais, mas também com gente de todo o Portugal, através no Hotel com caris cultural, da vila, onde exterioriza todo o seu poder criativo.
Apesar de se poder pensar que vive num exílio, tal nunca aconteceu, pois a actividade diária e interacção com as pessoas que por lá passam é constante.
Só, estava na cidade, e na serra sente-se mais perto do Céu, como gosta de dizer.
 Edição Parceria&Poesia -  Catiaho Alcantara
Quito Arantes/Portugal

Quem passou por aqui em 2011 e 2012






terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Sempre gostei e gosto de Natal


Eis algo que posso afirmar.
Gosto do  momento  onde a troca  se faz mesmo que seja negada ou rejeitada.
É um tempo que no meu entendimento; é oportunidade de  perdão.
Perdão não somente aos  outros(que é importante), mas especialmente a nós mesmos.
Desde menina Natal  pra mim não significava ganhar coisas, até porque nunca ganhei mesmo.
Lembro de duas vezes únicas vezes que isso aconteceu e não foi lá essas coisas.
Uma vez , já éramos seis irmãozinhos, dos quais  eu a mais velha tinha dez para onze anos.
Meu pai nesse tempo  de Natal apareceu em casa com roupas novas para todos nós!
Milagre!?
Lembro da blusa que ganhei : era branca, de botões e com letrinhas pretas.
 Ual que alegria!
Pois não usávamos roupas de loja, somente roupas doadas. Porém...
Logo em janeiro veio a notícia,  meu pai havia ganho do patrão dele(meu pai tinha por profissão
operador de máquinas pesadas operador de D8, nesse tempo trabalhava para um pequeno empresario
da área, coisa não comum  a meu pai que orgulhoso de sua profissão só trabalhava para grandes Cias de Engenharia em Terra Planajagem, mas com seis filhos pra sustentar e morando de favor em uma casa emprestada, na verdade um barraco de madeira, não teve escolha ate ser despedido e uma vez despedido, teve que devolver as roupas todas! Foi triste, lembro da cena como se  acontecesse ontem...
Depois, já com quinze anos, uma mocinha eu era; me formava na escola, completava os tão
sonhados quinze anos, minha mãe até fez um vestido  de crepe rosa clarinho pra eu ir a formatura.
Era de novo dezembro e meu pai apareceu com dois lindos relógios da marca mondaine. Um para
meu irmão e outro para mim! Êxtase absoluto. Escolhi o de fundo branco, meu irmão ficou com o
de fundo azul que ficou certinho no pulso dele(tem a dele até os tempos de hoje); já o meu...
 ficou meio largo. Nem dormi na noite que
 ganhe o presente, fiquei  com ele no pulso olhando, olhando encantadamente.
La pro dia cinco de janeiro, papai pediu o relógio pra  mandar  apertar a pulseira, entreguei  com alegria
só não sabia que jamis veria meu relógio novamente. Bem como também nunca ganhei nenhuma explicação.
Eu e o par Criamos nossos dois filhos com celebração nossa nessa data.
Lembro a primeira vez que fiz uma performace teatral pra eles, uma surpresa, exclamaram ao aplaudir-me: Nossa mãe é atriz! Eram tão pequenos!
Hoje os temos criados,  cada um longe de nós e  vivendo suas vidas.
Eu?  Continuo mantendo a celebração com o par e se por  ventura sozinha eu vivesse ou viver, faria e farei
a celebração sozinha.
Tenho descoberto que preciso muito de mim.
Que devo cuidar desse patrimônio que sou (não é egocentrismo que detesto nos que  reconheço),
Não devo cuidar desse patrimônio que sou para outro ou outros; mas pra mim mesma. Mereço.
Adoro Natal! Adoro presentes na arvore. Amo receber felicitação pelo dia.
Amo celebrar o nascimento do Cristo que nem foi nesse dia, mas que decidiram  que assim fosse e pra mim
assim  É. Amo a figura do Papai Noel .
Já saiu de minha  sala muitas vezes, anos  seguidos e  foi responsável pelo prover financeiro  em nossa familia.
E diferente da maioria, eu Catiaho não entendo Natal como consumo ou como exageros.Compro quando posso e quando os preços me convencem ou quando  os presenteados merecem esse tipo de carinho..
Entendo Natal como encontro,  como troca, como reciprocidade.
A começar em Mim, Comigo.
Essa é uma relação que vale e sempre valerá à pena explorar.
Pois  queremos tanto pro outro que nos deixamos a mercê.
Eu; Não Mais.
Feliz Natal pra todos , mas especialmente para mim!
Catia Helena 0159 2512012




segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Que esse seja o Tempo de EM TEMPO SERMOS SIMPLESMENTE FELIZES!


QUANTO TEMPO O TEMPO TEM?



   Ah, o tempo, senhor de todos os desejos. Rei de castelo sem rainha, príncipe e princesa. Tempo quente, de roupa curta e caminhos longos, de vida breve e morte eterna. Tempo de amar, de querer sem poder. De ser sincero e sofrer com a própria verdade, mas se eu, no entanto mentisse, tudo seria diferente. O sol teria a única finalidade de lamber o sal daqueles que vão à praia e esporadicamente
brilhar nos domingos pela manhã.
      Ah, quanto tempo me resta, agora?  De quanto tempo, talvez, eu precisasse para dar vida aos meus sonhos, voar como as borboletas por entre as flores e com João de Barro construir, no alto de um frondoso ipê, a mais bela moradia para então morrer contando as horas de um tempo lindo que vivi entre a certeza da dúvida e
a incerteza do talvez.
  Quanto tempo,  volto a perguntar, eu teria para sonhar com um tempo que não passasse? Para pensar que a verdade faz mal e que a hipócrita mentira não é acreditar nas fadas, nos príncipes encantados, na branca de neve e na felicidade, mas acreditar na eternidade. Eternidade de todos os sentidos, de todos os amores e
de todos os sorrisos.

silvioafonso.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Contos de Encantos


O dia do nosso encontro foi aquilo que Deus quis, sem receios, sem conspirações alheias. Foi tudo o que nossos corações pediram. Estamos entregue a esse sentimento nobre que temos vindo a modelar com sinceridade e muito carinho. Este foi o dia que senti que amar é possível, que a verdade dos sentimentos move montanhas e os rios não param de fluir em busca da imensidão do teu mar.

Vais partir, mas deixaste o teu coração bem juntinho ao meu, aquecendo toda a minha alma apaixonada.

 Será assim; tu e eu, tão distante e tão perto.
 
(A editar)
 
Quito Arantes/Portugal

sábado, 22 de dezembro de 2012

Mensagem do Blog para os amigos do Espelhando e Espalhando Amigos

Foto: Luiz Cidreira arquivo pessoal



Leiam mais sobre o Natal nos links abaixo: 


UMA MENSAGEM PARA REFLETIR, PRATICAR E AGRADECER.

"Que neste Natal, eu possa lembrar dos que vivem em guerra, e fazer por eles uma prece de paz.
Que eu possa lembrar dos que odeiam, e fazer por eles uma prece de amor.
Que eu possa perdoar a todos que me magoaram, e fazer por eles uma prece de perdão.
Que eu lembre dos desesperados, e faça por eles uma prece de esperança.
Que eu esqueça as tristezas do ano que termina, e faça uma prece de alegria.
Que eu possa acreditar que o mundo ainda pode ser melhor, e faça por ele uma prece de fé.
POIS NATAL NÃO É SÓ UM DIA, E SIM CADA MOMENTO DO DIA-A-DIA QUE VIVEMOS, RECONHECENDO NOSSOS DEFEITOS, 
E POSSAMOS REPARAR, PARA SERMOS A CADA DIA, UM SER HUMANO, CADA VEZ MELHOR...
Obrigada Senhor
Por ter alimento,quando tantos passam o ano com fome.
Por ter saúde, quando tantos sofrem neste momento.
Por ter um lar, quando tantos dormem nas ruas.
Por ser feliz, quando tantos choram na solidão.
Por ter amor,quantos tantos vivem no ódio.
Pela minha paz, quando tantos vivem o horror da guerra.
Por ter uma família, enquanto muitos estão no orfanato ou asilo."

Desejo para você e sua família muita paz, saúde e prosperidade.
Desejo que seus sonhos se realizem.

FELIZ NATAL  
Obrigada, Grande BEIJO.
Hô hô hô.
São os votos dos administradores, editores e autores dos Blogs do Lu Cidreira, Experiencias do Lu Em Blog, Cidreira Tec Net, Blog Jornal do Ivie e Receitas on Line do Ivie.

SABADO FELIZ COM MUSIQUINHA DO RAFINHA QUE ADORO!




Musiquinha
Rafinha Acustico

Todo desespero trás um pouco de esperança
Em todo travesseiro, um sonho de criança
Me chame pra brincar também

Vou pular a corda que procura o meu pescoço
Não vou dizer que gosto sem saber o gosto
Comer o chocolate antes do almoço
E te beijar depois de lambusar o rosto

Vou criar um mundo novo dentro de um salão
Convidar o lobo mal e o bicho papão
Conhecer também seu coração
Proteger o sentimento com bolinha de sabão

Vou me esconder tão perto que ninguém vai me perceber,
 no meu esconderijo também cabe você
Vou sentir o amor mais perto 
quando desistir de entender

Me abrace bem apertado pra caber nós dois
A gente fala baixinho pra sorrir depois
E quando o coração estiver batendo junto
Antes de escurecer,
 agente corre e salva o mundo

Bebidas Não Alcoolicas

Para quem não ingere álcool!
Azedinha

Ingredientes
1 copo de suco de limão
3 garrafas de soda limonada
Limão cortado em pedacinhos
½ copo de açúcar

Modo de fazer

Bata tudo menos o limão. Junte o limão cortado, gelo e um raminho de hortelã glaçada em cada copo.


Anita

Ingredientes

10 cl de sumo de laranja natural
5 cl de sumo de limão natural
10 cl de sumo de ananás
5 cl de natas (no topo)

Modo de preparar

Bata todos os ingredientes no próprio copo. Decore com cerejas e hortelã.

Fonte de pesquisa: Livros de receitas
Fotos: Google. com

Definição de Arte - Hoje abrangendo muito mais

Imagem: Google-mundodastribos.com

A arte é um termo que descreve uma variada gama de atividade humanas.
A Encyclopædia Britannica Online define a arte como "o uso da habilidade e imaginação na criação de objetos estéticos, ambientes ou experiências que podem ser compartilhados com os outros".
Arte é a qualidade, produção, expressão , ou domínio, de acordo com princípios estéticos, do que é belo, atraente, ou mais do que um significado comum.
Os produtos dessas atividades de propriedades humanas referem-se às artes visuais, que cobrem a criação de imagens ou objetos em áreas, incluindo pintura, escultura, gravura, fotografia e outras mídias visuais.
Na verdade, as definições deste conceito variam amplamente em diferentes épocas e lugares, e nenhuma delas é universalmente aceita.
Assim, por Marcel Mauss , "uma obra de arte, por definição, é o objeto reconhecido como tal por um grupo. "É por isso que as coleções de produções artísticas podem ser avaliados e classificados de forma diferente em culturas diferentes, autores e instituições.
Na Europa , desde o século XVIII , o termo abrange principalmente os produtos das chamadas " artes plásticas ", como a escultura , a pintura , a arquitetura , as artes gráficas , e também a música , a dança e a poesia e literatura .

Definição de Arte

A designação do termo Arte vem do latim Ars, que significa habilidade. É definida como uma atividade que manifesta a estética visual, desenvolvida por artistas que se baseiam em suas próprias emoções. Geralmente a arte é um reflexo da época e cultura vivida.
A Arte existe desde os primeiros indícios do desenvolvimento do homem, inicialmente utilizada para suprir necessidades de sobrevivência, como utensílios de cozinha e inscrições em cavernas.
No Século V a. C., era considerada técnica, do grego tékn, onde esculturas e pinturas eram aprimoramentos técnicos.
A Arte é desenvolvida com o intuito de mostrar o pensamento do artista e expressar os sentimentos, por meio de correntes de estilo e estéticas diferentes.
Estilo e Estética são as suas manifestações. Estilo é a forma da obra e Estética é o fundamento da Arte. Cada qual interpreta os cenários e objetos de uma maneira única e singular, o que caracteriza o movimento que a nomeia.
Dentre os movimentos artísticos existentes, pode-se destacar: Abstracionismo, Arcadismo, Art Déco, Art Nouveau, Arte Bizantina, Arte Cristã Primitiva, Arte Egípcia, Arte Gótica, Arte Grega, Arte Romana, Arte Rupestre, Barroco, Bauhaus, Classicismo, Concretismo, Construtivismo, Cubismo, Dadaísmo, Expressionismo, Fauvismo, Futurismo, Impressionismo, Maneirismo, Minimalismo, Modernismo, Naturalismo, Neoclassicismo, Neo-Concretismo, Neo-realismo, Nouvelle Vague, Parnasianismo, Pop Art, Primitivismo, Realismo, Regionalismo, Renascimento, Romantismo, Simbolismo, Surrealismo e Tropicalismo.
Além das correntes mencionadas a Arte o a obra artística, são também manifestadas através de tecnologias, com diversos meios como no rádio (músicas e melodias) fotografia, dança, cinema e televisão (a qual possui um papel importante de difusor de informações artísticas). Além de museus (manuscritos, esculturas e pinturas).
A capacidade do artista de ler e interpretar a vida, com tamanha sensibilidade e a expressar em forma de pinturas, músicas e outras obras, é o que se denomina Arte.
A Arte pode ser expressada através da escultura, como Davi, de Michelangelo. Em partituras de Ravel ou quadros de Van Gogh, Picasso, Dali entre outros expoentes de movimentos artísticos. A Arte é transmitida através do artista, o qual utiliza a criatividade para externar a obra, cuja inspiração se revela pela percepção da vida.
Por meio de manifestações artísticas e obras, é possível conhecer a cultura de uma sociedade ou de um grupo.
Portanto a Arte preserva e mantém viva os aspectos, que marcaram e definiram a característica de um povo.
Estudiosos e historiadores afirmam que a Arte, seja visual, sonora ou de interpretação, permite as pessoas observarem o mundo e ávida, de diferentes prismas, o que sugere mais debate a população.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Nós Pós Modernos, agora tambem Pós Sobrevivientes ao Fim do Mundo(adoro!) Prossigamos Refletindo um pouco da TENTAÇÃO de Clarice( Patronese na minha Imortalidade Acadêmica) e ofertando ao Amor Meu



Ela estava com soluço. E como se não bastasse a claridade das duas horas, ela era
ruiva.
Na rua vazia as pedras vibravam de calor – a cabeça da menina flamejava. Sentada
nos degraus de sua casa, ela suportava. Ninguém na rua, só uma pessoa esperando
inutilmente no ponto de bonde. E como se não bastasse seu olhar submisso e paciente,
o soluço a interrompia de momento a momento, abalando o queixo que se apoiava
conformado na mão. Que fazer de uma menina ruiva com soluço? Olhamo-nos sem
palavras, desalento contra desalento. Na rua deserta nenhum sinal de bonde. Numa terra

de morenos, ser ruivo era uma revolta involuntária. Que importava se num dia futuro sua
marca ia fazê-la erguer insolente uma cabeça de mulher? Por enquanto ela estava
sentada num degrau faiscante da porta, às duas horas. O que a salvava era uma bolsa
velha de senhora, com alça partida. Segurava-a com um amor conjugal já habituado,
apertando-a contra os joelhos.
Foi quando se aproximou a sua outra metade neste mundo, um irmão do Grajaú. A
possibilidade de comunicação surgiu no ângulo quente da esquina, acompanhando uma
senhora, e encarnado na figura de um cão. Era um basset lindo e miserável, doce sob a
sua fatalidade. Era um basset ruivo.
Lá vinha ele trotando, à frente de sua dona, arrastando seu comprimento.
Desprevenido, acostumado, cachorro.
A menina abriu os olhos pasmados. Suavemente avisado, o cachorro estacou diante
dela. Sua língua vibrava. Ambos se olhavam.
Entre tantos seres que estão prontos para se tornarem donos de outro ser, lá estava
a menina que viera ao mundo para ter aquele cachorro. Ele fremia suavemente, sem
latir. Ela olhava-o sob os cabelos, fascinada, séria. Quanto tempo se passava?
Um grande soluço sacudiu-a desafinado. Ele nem sequer tremeu. Também ela passou por
cima do soluço e continuou a fitá-lo.
Os pelos de ambos eram curtos, vermelhos.
Que foi que se disseram? Não se sabe. Sabe-se apenas que se comunicaram
rapidamente, pois não havia tempo. Sabe-se também que sem falar eles se pediam.
Pediam-se, com urgência, com encabulamento, surpreendidos.
No meio de tanta vaga impossibilidade e de tanto sol, ali estava a solução para a
criança vermelha. E no meio de tantas ruas a serem trotadas, de tantos cães maiores, de
tantos esgotos secos – lá estava uma menina, como se fora carne de sua ruiva carne. Eles
se fitavam profundos, entregues, ausentes de Grajaú. Mais um instante e o suspenso
sonho se quebraria, cedendo talvez à gravidade com que se pediam.
Mas ambos eram comprometidos.
Ela com sua infância impossível, o centro da inocência que só se abriria quando ela
fosse uma mulher. Ele, com sua natureza aprisionada.
A dona esperava impaciente sob o guarda-sol. O basset ruivo afinal despregou-se da
menina e saiu sonâmbulo. Ela ficou espantada, com o acontecimento nas mãos, numa
mudez que nem pai nem mãe compreenderiam. Acompanhou-os com os olhos pretos
que mal acreditavam, debruçada sobre a bolsa e os joelhos, até vê-lo dobrar a outra
esquina.
Mas ele foi mais forte que ela. Nem uma só vez olhou para trás.
(LISPECTOR, Clarice. “Tentação”. In: Felicidade clandestina. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.)


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

De repente...


A pressa de realizar,
de fazer,
de criar,
cessou,
 Até meu compor estagnou.
Perdi a vontade.
E agora
na verdade
eu quero  
é sair da fase de recuperação,
esquecer da vida real
e   cair de corpo , alma
e  vontade
  no clima do Estilo de Gangnam
E gente, com certeza essa MULHER da tradução
SOU EU!!! Huahuaha


Estilo de Gangnam
Oppa tem o estilo de Gangnam
Estilo de Gangnam

Uma mulher que é quente e amorosa durante o dia
Uma mulher elegante que saiba apreciar uma boa xícara de café
Uma mulher que o coração aqueça quando chega a noite
Uma mulher que mostre essa mudança

Eu sou um cara
Um cara que é quente durante o dia, que nem você
Um cara que toma seu café todo dia antes mesmo que ele esfrie
Um cara que o coração explode quando chega a noite
Esse tipo de cara

Bonita, adorável
Sim você, ei, sim é você, ei
Bonita, adorável
Sim você, ei, sim é você, ei
Agora vamos até o fim

Oppa tem o estilo de Gangnam,
O estilo de Gangnam
Oppa tem o estilo de Gangnam,
O estilo de Gangnam
Oppa tem o estilo de Gangnam
Eh garota sexy
Oppa tem o estilo de Gangnam
Ehh garota sexy, oh, oh
Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Uma mulher que pareça inocente, mas que quando joga, joga pra valer
Uma mulher que saiba jogar o cabelo na hora H
Uma mulher que não se mostra, mas é mais sexy do que aquelas que mostram tudo por aí
Um mulher sensual assim

Eu sou um cara
Um cara que parece educado, mas que quando tem que jogar, joga pra valer
Um cara que vai a loucura na hora H
Um cara que tem mais ideas do que músculos
Esse tipo de cara

Bonita, adorável
Sim você, ei, sim é você, ei

Bonita, adorável
Sim você, ei, sim é você, ei
Agora vamos até o fim

Oppa tem o estilo de Gangnam,
Estilo de Gangnam
Oppa tem o estilo de Gangnam,
Estilo de Gangnam
Oppa tem o estilo de Gangnam
Ehh garota sexy
Oppa tem o estilo de Gangnam,
Ehh garota sexy, oh, oh
Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Acima do homem que corre está o homem que voa,
Baby baby,
Eu sou um cara que sabe uma coisa ou duas

Acima do homem que corre está o homem que voa,
Baby baby,
Eu sou o homem que sabe uma coisa ou duas

Você sabe do que estou falando

Oppa tem o estilo de Gangnam
Ehh garota sexy
Oppa tem o estilo de Gangnam
Ehh garota sexy
Oppa tem o estilo de Gangnam, eh eh
Oppa tem o estilo de Gangnam


Gangnam Style
Oppan Gangnam style
Gangnam style

Najeneun dasarowun inganjeogin yeoja
Keopi hanjaneui yeoyureul aneun pumgyeok ittneun yeoja
Bami omyeon shimjangi ddeugeowojineun yeoja
Geureon banjeon ittneun yeoja

Naneun sanai
Najeneun neomankeum ddasarowun geureon sanai
Keopi shikgido jeone wonsyat ddaerineun sanai
Bami omyeon shimjangi teojyeobeorineun sanai
Geureon sanai

Aremdawo sarangseurowo
Geurae neo hey, geurae baro neo hey
Areumdawo sarangseurowo
Geurae neo hey, geurae baro neo hey
Jigeumbuteo gal ddaekkaji gabolkka

Oppan Gangnam style
Gangnam style
Oppan Gangnam style
Gangnam style
Oppan Gangnam style
Eh sexy lady
Oppan Gangnam style
Ehh sexy lady, oh, oh
Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Jeongsokhae boijiman nol ddaen noneun yeoja
Iddaeda shipeumyeon mukkeottdeon meori puneun yeoja
Garyeottjiman wenmanhan nochulboda yahan yeoja
Geureon gangjakjeogin yeoja

Naneun sanai
Jeonjanha boijiman nol ddaen noneun sanai
Ddaega dweimyeon wanjeon michyeobeorineun sanai
Geunyukboda sasangi ultungbultung han sanai
Geureon sanai

Aremdawo sarangseurowo
Geurae neo hey, geurae baro neo wey

Areumdawo sarangseurowo
Geurae neo hey, geurae baro neo hey
Jigeumbuteo gal ddaekkaji gabolkka

Oppan Gangnam style
Gangnam style
Oppan Gangnam style
Gangnam style
Oppan Gangnam style
Eh sexy lady
Oppan Gangnam style
Ehh sexy lady, oh, oh
Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Ttwineun nom geu wie naneun nom
Baby baby
Naneun mwol jom aneun nom

Ttwineun nom geu wie naneun nom
Baby baby
Naneun mwol jom aneun nom

You know what i’m saying

Oppan Gangnam style
Eh sexy lady
Oppan Gangnam style
Eh sexy lady
Oppan Gangnam style, eh eh
Oppan Gangnam style




Ana  Clara dançando Gangnam pra eu ver


.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações