Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Saldo de Maio: Vida e Leitura Absolutamente em Dia.



Eu demorei a chegar a compreensão de como a Vida PODE e DEVE Ser Simples e Prática. Demorei, mas entendi e hoje vivo com tranquilidade o meu Dia a Dia.
Meu Ontem já é História.
Meu Presente é o Hoje.
E meu Futuro são planos e projetos bem planejados aguardando pelo Futuro.
Pelo Futuro eu trabalho e Aguardo.
O Passado guarda somente coisas Boas e Suaves  como Minha Saudade e Memórias. Nada de peso.
O Presente Eu Vivo com Alegria e Gratidão.
 O Ontem fica pra trás.
O Futuro a Deus pertence.
O Hoje sim, esse cabe minha Administração, Ação e Direção.
CatiahoAlc.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Sorver

l


Beber cada gole com vontade
Sentir o gosto bom
Perceber o liquido descendo
Gostosos dentro
Da gente

Sorver a vida é parecido
Cada dia um dia
Cada momento uma lembrança
Cada lembrança
Uma saudade
E de saudade em saudade
Suspiros e sentimentos

Sorver
É isso
É sentir a vida
Momento
A momento.

Catiaho Alc./Reflexod'Alma
 301219970940

Canção  para esta Publicação:
Interprete: Lenine
Canção: Todas Elas juntas num Ser só
Não canto mais Babete nem Domingas
Nem Xica nem Tereza de Ben Jor
Nem Drão nem Flora do baiano Gil
Nem Ana, nem Luiza do maior
Já não homenageio Januária
Joana, Ana, Bárbara de Chico
Nem Yoko, a nipônica de Lennon
Nem a cabocla de Tinoco e de Tonico

Nem a tigresa nem a Vera Gata
Nem a branquinha de Caetano
Nem mesmo a linda flor de Luiz Gonzaga
Rosinha do sertão pernambucano
Nem Risoflora, a flor de Chico Science
Nenhuma continua nos meus planos
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett
Nem Anna Júlia do Los Hermanos

Só você, hoje eu canto só você
Só você, que eu quero, porque quero
Por querer

Não canto de Melô Pérola Negra
De Brown e Herbert, nem uma brasileira
De Ari, nem a baiana nem Maria
Nem a Iaiá também, nem minha faceira
De Dorival, nem Dora nem Marina
Nem a morena de Itapoã
Divina garota de Ipanema
Nem Iracema de Adoniran

De Jackson do Pandeiro nem Cremilda
De Michael Jackson nem a Billie Jean
De Jimi Hendrix nem a doce Angel
Nem Ângela nem Lígia, de Jobim
Nem Lia, Lily Braun, nem Beatriz
Das doze deusas de Edu e Chico
Até das trinta Leilas de Donato
E da Layla, de Clapton, eu abdico

Só você, canto e toco só você
Só você que nem você ninguém mais pode haver

Nem a namoradinha de um amigo
E nem a amada amante de Roberto
E nem Michelle-me-belle, do beattle Paul
Nem Isabel, Bebel, de João Gilberto
Nem B.B., La femme de Serge Gainsbourg
Nem de Totó na Malafemmena
Nem a Iaiá de Zeca Pagodinho
Nem a mulata mulatinha de Lalá

E nem a carioca de Vinícius
E nem a tropicana de Alceu
E nem a escurinha de Geraldo
E nem a pastorinha de Noel
E nem a namorada de Carlinhos
E nem a superstar do Tremendão
E nem a malaguenha de Lecuona
E nem a popozuda do Tigrão

Só você, hoje elejo e elogio só você
Só você, que nem você não há nem quem nem quê

De Haroldo Lobo com Wilson Batista
De Mário Lago e Ataulfo Alves
Não canto nem Emília nem Amélia
Nenhuma tem meus ''vivas'' e meus ''salves''!
E nem Angie, do stone Mick Jagger
E nem Roxanne, de Sting, do Police
E nem a mina do mamona Dinho
E nem as mina pá do mano Xis!

Loira de Hervê, Loira do É O Tchan
Lôra de Gabriel, o Pensador
Laura de Mercer, Laura de Braguinha
Laura de Daniel, o trovador
Ana do Rei e Ana de Djavan
Ana do outro Rei, o do Baião
Nenhuma delas hoje cantarei
Só outra reina no meu coração

Só você, rainha aqui é só você
Só você a musa dentre as musas de A a Z

Se um dia me surgisse uma moça dessas
Que com seus dotes e seus dons
Inspira parte dos compositores
Na arte das palavras e dos sons
Tal como Madallene, de Jacques Brel
Ou como Madalena de Martinho
Ou Mabellene, a sixteen de Chuck Berry
Ou a manequim do tímido Paulinho

Ou como de Caymmi, a moça prosa
E a musa inspiradora Doralice
Se me surgisse uma moça dessas
Confesso que eu talvez não resistisse
Mas veja bem, meu bem, minha querida
Isso seria só por uma vez
Uma vez só em toda a minha vida
Ou talvez duas, mas não mais que três!

Só você, mais que tudo é só você
Só você, as coisas mais queridas você é

Você pra mim é o sol da minha noite
É como a rosa luz de Pixinguinha
É como a estrela pura aparecida
A estrela a refulgir do Poetinha
Você, ó flor, é como a nuvem calma
No céu da alma de Luiz Vieira
Você é como a luz do sol da vida
De Stevie Wonder, ó minha parceira

Você é pra mim o meu amor
Crescendo como mato em campos vastos
Mais que a Gatinha pra Erasmo Carlos
Mais que a cigana pra Ronaldo Bastos
Mais que a divina dama pra Cartola
Que a Domna pra Ventadorn, Bernart
Que a Honey Baby para Waly Salomão
E a Funny Valentine para Lorenz Hart!

Só você, mais que tudo e todas, é só você
Só você, que é todas elas juntas num só ser!


terça-feira, 22 de maio de 2018

RENO vANDO Meu dES a fIO: Desafio da Poeta Catiaho Alc. / Texto: Desse Jeito / Canção Tudo Novo di Novo

Vamos subir na mesa e fazer poesia,
 levar a vida na flauta, fazer de conta que é alegria!
Deixar que as ondas nos levem
nessa viagem incauta.

Poeta nunca é levado a sério
com ele se divertem o "Sãos",
dizem palavras soltas
enquanto lhe dizem sorrindo:  não.

A arte é usada sem medida
não reclama enquanto faz seu papel,
espalhando a pura semente
aproveitando a luz que vem do céu.

As telas ;são somente  enfeite,
espetáculos; só diversão,
os livros só auto ajuda quando há desilusão.
 A dança, coitada, vista como pura  especulação.

Eis a dança de vida.
Eis a verdade em questão...
Eis como seguimos; nós Poetas!
Eis-me sobre a mesa em pleno momento de re-flexão.

Poeta Catiaho Alc. em pleno momento d'Reflexão 14430809010



Eu ando vivendo um tempo de conclusão de ciclo.
Como  funciona isso?
Eu Catiaho, creio a vida ser vivida em ciclos completos de sete em sete anos.
Creio piamente ser do nascimento aos sete anos a fase da infância.
Dos sete aos quatorze a fase da adolescência se faz presente.
Depois dos quatorze aos vinte e um a juventude floresce...
E acontece até que dos vinte e um aos vinte e oito a idade adulta
toma corpo e seguimos assim vivendo de fase em fase.
Essa teoria é a teoria cronológica, mas defendo uma outra,
a tese de sete anos, mas de acontecimentos sequentes e somente
percebe quem se permite ser  atento, pois as situações da vida e dia a dia tem
começo, meio e fim, e duram exatamente sete anos cada uma.
Fiquem bem e Nunca esqueçam que
"Nossas Asas Só Crescem quando não Cabem mais na Gente."(sa)



Canção que amo!:
Tudo Novo de Novo
Paulinho Moska ou Moska


Letra da Canção

Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim

Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim

É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou

E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

Mas é tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo

Vamos mergulhar do alto onde subimos



quarta-feira, 16 de maio de 2018

Poesia Reação em Cadeia / Canção Anjo de Saulo


A Pele exposta recebe a Energia
Seja da Lua que se apresenta 
Nua e Sua
Ou então do Sol que 
Aquece e abre os poros
Mas a Alma que fugitiva se 
Escondia
Agora como a 
Pele ousa e se expõe
É um risco sem dúvida
Porque na vida
Não há piedade
Nem sinceridade e 
Muito menos verdade
Mas exposta a Pele e 
A Alma se encontram
Uma pega Cor e 
Recebe Calor
Enquanto outra em Nuaces se 
Expande ao Calor
Como em flashes de Luz ou 
Explosões do próprio Arco-íris
Coisa boa essa Exposição
Que causa toda essa 
Reação
Em Cadeia
CatiahoAlc./Reflexod'Alma
1904200809:30

A Canção dessa publicação eu conheci há algum tempo atrás durante a aula 
o alongamento ao final da aula que eu frequentava na orla da cidade onde moro.
Por uns meses eu me encantava em terminar uma aula alongando sob essa letra.
Não contente guardei uma frase da canção e fui para a Internet em busca de mais informações  e então conheci o trabalho do Saulo, até então desconhecido para mim. CatiahoAlc.
Anjo
Saulo Fernandes

Hoje eu acordei mais cedo
E fiquei te olhando dormir
Imaginei algum suposto medo
Para que tão logo
Pudesse te cobrir

Tenho cuidado de você
Todo esse tempo
Você está sob o meu abraço
E minha proteção
Tenho visto você errar e crescer
Amar e voar
Você sabe onde pousar

Ao acordar já terei partido

Ficarei de longe, escondido
Mas sempre perto decerto
Como se eu fosse humano, vivo
Vivendo pra te cuidar, te proteger
Sem você me ver
Sem saber quem sou
Se sou anjo
Ou se sou
Seu amor

Acredita em anjo?
Pois é, sou o seu
Soube que anda triste
Que sente falta de alguém
Que não quer amar ninguém

Por isso estou aqui
Vim cuidar de você
Te proteger, te fazer sorrir
Te entender, te ouvir
E quando tiver cansada
Cantar pra você dormir

Te colocar sobre as minhas asas
Te apresentar as estrelas do meu céu
Passar em Saturno e roubar o seu mais lindo anel

Vou secar qualquer lágrima
Que ousar cair
Vou desviar todo mal do seu pensamento
Estar contigo a todo momento
Sem que você me veja
Farei tudo, tudo que você deseja

Mas, de repente você me beija
O coração dispara
E a consciência sente dor
E eu descubro que além de anjo
Eu posso ser seu amor

terça-feira, 15 de maio de 2018

"FASES da SOL " OFEREÇO ESSA POSTAGEM A QUERIDA "SOL" por seu Dia Importante.



Fases da Sol
Ao invés das fases da Lua
Vou citar as fases da Sol
Mulher Menina  contente
Com coragem e alegria
Segue a vida sem hesitar
Busca pra si o melhor
Junto com seu Biel
Segue a caminhada
Assumindo as mudanças
Gosto da Sol desde o primeiro dia
Quando conosco à mesa de café sentou 
Sou grata por sua Vida
Pela companhia constante
Sol
Que esse sorriso perdure
Mesmo se houverem momentos difíceis
Assim prossiga
Por muitas outras
 Fases 
Da sua Vida
Linda
Parabéns 
Vem?
Vem Dançar
Vem?
CatiahoAlc./Reflexod'Alma

VEM DANÇAR, VEM?
Aceite meu convite para dançar
Sejamos um só nesse
Suave  balançar.
Deixemos que um corpo no outro toque
Sem em nada  mais pensar.
Que as sensações dominem por inteiro
Vem?
Aceite o convite
Sejamos  um do outro
Somente nem que por uma fração
Mínima de tempo que seja,
Mas que na mente
Guardemos muito mais
Que a eternidade
Desse nosso querer.

CatiahoaLC./ Reflexod'Alma
entre Sonhos e Delírios
01/04/13 00:02



CANÇÃO PARA ESSA POSTAGEM
Tantinho
Carlinhos Brown



Decunde Odá

Odara, Odara

Thiriririri Yara
Oh, oh yeah
Dá, Odara, Odara
Thiriririri Yara

Fiz essa canção em coma de amor
Como sou feliz e sei que estou
Nunca amei ninguém um tantinho assim
Sem gostar de quem gosta de mim

Fiz essa canção pro tempo passar
Como estou, só quero te abraçar
Se é ilusão, desligue a razão
Pra bater feliz meu coração

Agora que subi ladeira, sossego
Que a poesia em minha horta choveu
Eu te quero aqui
Bem-vinda à minha vida, linda, calor
Você é vitamina, guia e é show
Vem grudar em mim

Por isso então dá-me tua mão
Por isso então dá-me tu amor
Por isso então dá-me tu amor

Por isso então dá-me tua mão
Por isso então dá-me tu amor
Por isso então dá-me tu amor

Odara, Odara
Thiriririri Yara
Oh, oh yeah
Dá, Odara, Odara
Thiriririri Yara

Hey, hey
Come on
Hey
Agora que subi ladeira, sossego
Que a poesia em minha horta choveu
I just want you here (so much love)
Bem vinda a minha vida, linda, calor (so much love)
Você é vitamina, guia e é show (so much love)
Ooh, get close to me

(So much love)
Por isso então dá-me tua mão
(So much love)
Por isso então dá-me tu amor
(So much love)
Por isso então dá-me tu amor

(So much love)
Por isso então dá-me tua mão
(So much love)
Por isso então dá-me tu amor
(So much love)
Por isso então dá-me tu amor

Como I love you
Como I need you
E o meu coração só quer lhe amar
Como I love you
Como I need you
E só quer saber de andar colado

Como I love you
Como I need you
E o meu coração só quer lhe amar
Como I love you
Como I need you
E só quer saber yeah, yeah

Odara, Odara
Thiriririri Yara
Oh, oh yeah
Dá, Odara, Odara
Thiriririri Yara

domingo, 13 de maio de 2018

Ser Mãe é muito perto dessa Poesia que me foi presenteada:

 Custei, mas Entendi

Custei entender que mãe 
não é só a mulher
 que nos põe no mundo, mas também
 a que nos ensina a compreendê-lo.
 Pena que a gente,
 depois de achar que aprendeu tudo, 
voa para longe do ninho e 
esquece de quem nos deu, 
de graça, o brevê de piloto. Mãe deve ser isso, 
ou seria aquela que chora quando os olhos da gente 
umedecem e sofre quando a dor pensa doer na gente
 e sorri com as bobagens que a gente faz?
 Pois seja ela quem você achar que ela é, mas, por favor,
 não se esqueça de agradecê-la por
 tudo que ela fez por você,
 e de pedir perdão pelo que você deixou de fazer pelos dois.
 Feliz 8 de maio. Feliz dia das mães. 
silvioafonso .

Feliz Dia pra Nós!


quinta-feira, 10 de maio de 2018

POesia: E qui li brando / TExto: Ha há ha harrá! / CAnção: Tunai em Frisson

Obs: Esse texto foi escrito há 20 dias passados, o dia da publicação foi programado aleatoriamente.






FOTO CAPA DE UM LINDO LIVRO DE MINHA AUTORIA,
NA IMAGEM  MEU FILHO CAÇULA WALLACE KYOSKY'S ASSISTINDO  O NASCER DO SOL
HA 3 RUAS DE ONDE MORAMOS NA PRAIA DE ITAPUÃ/VILA VELHA/ES/BRASIL 

Um passo de cada vez
Proporciona o 
andar
Muitas palavras
É necessário 
para um poema
formar
Poeta segue assim
ora pensando
sempre 
sonhando
Ora divagando 
mas sempre
cuidando
Da magia
 Em poesia
ao
 mundo
Inteiro espalhar
Copyright ®reflexodalmafasell
CatiahoAlc/Reflexo dAlma
entre sonhos e delírios



Ha há ha harrá!


         Essa sou eu pensando em quanto tempo já perdi na vida por conta de
acreditar as pessoas se importarem umas com as outras. Se não se importassem, era pelo menos um forma de alimentar minha esperança das coisas não serem assim tão ruins ou tão sem sentido.
         As pessoas trocam de ideia, de ação ou de reação de um momento pro outro e tem a descapacidade de acordar no dia seguinte como se nada tivesse acontecido. É como se eles fossem totalmente aceitáveis e gente como eu fosse obrigada a achar tudo muito normal. Na verdade, na verdade é como se a gente fosse folha em branco, folha de papel higiênico ou água mesmo de privada. Porque não faz a menor diferença.
         Fui uma criança sem direitos e sem imagem. Nada do que eu fizesse ou sentisse fazia diferença. Nunca ninguém me perguntou o que eu achava disso ou daquilo.
         No tempo da escola, a antiga quinta série, passava no portão da minha colega de sala Isa, era passagem minha do ponto do ônibus até a escola (nos conhecemos dentro da sala de aula). Eu ia pra escola de ônibus, pois vinha de um bairro mais distante, e ela era bem do bairro da escola. Um dia ela me chamou pra entrar, eu neguei. Um outro dia ela pediu pra eu esperar do lado de dentro porque ela e a família estavam almoçando. Eu entrei e esperei. Assim aconteceu por uns dias: na hora eu descia do ônibus lá estava ela com aquele sorriso bonito, sua pele branca me esperando. Mais a frente, a mãe dela me agradeceu por esperar a filha dela e quase me obrigou a entrar, entrei. Eles almoçavam: mãe, duas filhas e um filho menor. Assim foi por um tempo, um dia sem esperar meu prato foi posto a mesa e me sentei e almocei com eles. Vieram as férias de final de ano, o recesso e como ambas passamos de serie no ano seguinte voltamos estudar na mesma sala. Voltei a aguardá-la para irmos juntas para aula. Como no início aguardei do lado de fora uns dias, depois mais uma vez Isa me convidou para entrar, mas dessa vez eram eles: pai, mãe, irmãs, irmão. Não demorou muito e novamente a mãe dela me agradeceu como no ano anterior e pôs meu prato á mesa, uma duas e na terceira vez o pai dela até então sempre calado, perguntou meu nome, eu disse e ele seguiu: -Catia, somos gratos por sua amizade por Isa e por estar sempre com ela. Mas vou pedir que não venha mais aqui, que não a espere mais para ir a escola, pois eu sou ex presidiário e não será de bom tom você frequentar nossa casa. As pessoas são cruéis. Me perdoe, mas para seu bem de hoje em diante você não é mais bem vinda aqui.
Eu lívida não sabia como reagir.
A Isa com os olhos cheios de lágrimas pôs as mãos na face soluçando, os demais ficaram quietos e a mãe resignada pôs a mão em meu ombro e me conduziu até onde estava minha mochila, depois me levou até a porta e ao portão, lá me deu um forte abraço, e disse: -Será melhor assim. Perdão novamente e Adeus.
Eu simplesmente fui embora e nunca falei publicamente sobre o assunto até hoje; naquela época eu era uma menina de 10 anos, completaria 11 no fim do ano em dezembro e isso ainda era setembro... Agora eu descia do ônibus praticamente no portão da casa dela, atravessava a rua e subia a ladeira até a Escola Estadual Presidente Bernardes. Vi de longe a Isa até o final daquele ano, éramos ainda as duas melhores alunas da turma. Eu tinha verdadeira amizade por aquela menina e ela por mim, éramos as duas muito boas em Português e História, eu a moreninha de cabelos castanhos compridos e ela a branquinha de cabelos pretos, meio curtos e de franja.
         Confesso que a comida da casa dela era infinitamente melhor do que a da minha casa havia como, por exemplo, copos de vidro, talheres e louça (confesso serem coisas que até hoje eu prezo ter). Já meus pais na época eram muito sem condições e punham à mesa o possível e nossos pratos eram aquelas latas de goiabada sem a tampa, e onde bebíamos água eu não me lembro de verdade.
A casa da Isa?
Lá tinha sala, quartos, cozinha copa e banheiro completo.
Já lá em casa era um espaço pequeno repartido pelos móveis. O quarto dos meus pais era separado por um cobertor grande preso ao armário, e o bebê (a ultima criança das seis nascidas) dormia com o casal na cama. Ao lado, depois do armário que fazia parece dormiam as três meninas em uma cama maior (eu era uma delas, duas irmãs dormiam para baixo e eu sozinha para cima). No espaço chamado sala, porque tinha uma televisão preto e branco, em uma poltrona maior dormiam os dois meninos. Era tudo tão apertado, tão mínimo, mas para mim não fazia a menor diferença, pois eu tinha minhas tarefas ao cuidar dos meus cinco irmãos pelas manhãs, mas a tarde eu tinha a Escola! Lá eu tinha espaço, lá eu era alguém, lá me chamavam pelo nome e eu me sobressaia por ser estudiosa! E por um tempo até tive até a Isa como amiga.
         Penso hoje refletindo que minha casa humilde tinha algo a mais que na casa da Isa. Não sei o que era, pois meus pais tinham muitos atritos todas as noites. Eles se ofendiam, nós filhos recebíamos as rebarbas, fossem em desprezo ou em pancadas mesmo. Eu nunca recebi nenhum amigo em casa, pois eu morava em um bairro longe da escola, mas quando eu tinha a chance de passar com e turma no ônibus eu fazia questão de apontar sem nenhuma vergonha: -Estão vendo aquela casa pequena de madeira, aquela em acima da casa grande de lage, lá em cima depois da escada de barro? Pois eu moro lá com meu pai, minha mãe e meus irmãos e irmãs.
         Amigos da Blogsfera, a despeito da pobreza e da violência imposta pela vida sofrida eu nunca fui infeliz naquele recanto dos 9 aos 14 anos. Mas eu sempre penso na Isa e na família dela, pois eles se preocuparam comigo, por eu sofrer algo por frequentar a casa deles? Naquela época eles se preocupavam com o maldito preconceito?
         Não sei...
         Será?
         Pra mim desde aquele tempo o preconceito não fazia como não faz parte da minha vida.
Mas na verdade o que me afetou bem foi ser preterida, posta de lado, posta fora da vida daquela gente que eu tanto achava ser cativante. Eu senti a perda da presença de Isa, creio ter sido aí que comecei a ter o dedo chamado podre para escolher seres que seguem comigo (não me refiro a família de sangue ou aos amigosmaischegadosqueirmãos). Todavia a constatação é real de ser  raro eu não ser/me sentir  preterida/deixada de lado ainda hoje.
         Entretanto deixei de sofrer com esses abandonos quando entendi ser de um gênero de Seres que jamais terão alguém ao lado para sempre ou melhor ao longo da vida, exceto os ligados a mim pelo amor Eros. Digo no plural por ter vivido  55 anos e crer ainda não saber do meu amanhã, aliás ninguém sabe, ou sabe? Em fim seguindo: Os demais sempre passarão pela minha vida, irão e virão, e eu? Sempre estarei de braços abertos não esperando incondicionalmente, mas sim olhando a vida seguir seu curso. 
Pois meu destino é ser quem Sou a minha própria Custa.
Acho bom; pois entender isso me fez parar de criar expectativas inúteis.
CatiahoAlc./Reflexod’Alma

Canção Frisson com Tunai
Abaixo dos vídeos a bela letra da contagiante canção




Meu coração pulou
Você chegou, me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: que bom...
Parece, enfim acordei
Pra renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim sem me avisar
Pra acelerar...
Um coração que já bate pouco
De tanto procurar por outro
Anda cansado
Mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais

Você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal
Me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual
De repente...
Você surgiu na minha frente
Luz cintilante
Estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
Você me conquistou

Me olha, me toca, me faz sentir
Que é hora, agora, da gente ir


.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações