Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

domingo, 24 de outubro de 2021

Pra não dizer que não falei de flores

 

Começo essa publicação com essa maravilhosa imagem e  com essa frase perfeita!  "Porque há o direito ao grito. Então eu grito." Clarice Lispector
Pois bem, quero compartilhar aqui o que tento Falar e que Insistem em não Ouvir.
Amigosleitores, converso aqui porque quero marcar essa semana que começou hoje domingo, quando fecho algo que define meu futuro profissional. Tenho poucos com quem contar e menos ainda com quem compartilharO mundo se faz surdo, mas não sou mais muda, nem mais sou o ser que jogava o olhar pro chão com medo da vida. Muito mudou em mim nesses últimos tempos e pandemia ajudou consideravelmente.
Falando em surdez, e atitude; a verdade é que há uma parábola num livro que tenho por bússola e que respeito; diz que: Certo homem de bem estava muito feliz e decidiu preparar  uma grande festa, convidou a sociedade local, pessoas ditas dignas e de bem. Mas só que a alegria era só do cidadão que desejava compartilhar seus tesouros e conquistas. Cada um convidado pra se esquivar de estar com ele deu sua desculpa, uma mais esfarrapada que a outra e assim não sobrou ninguém na lista que se dispusesse dividir com ele a mesa farta. Então magoado por dentro, mas firme por fora determinou que os seus auxiliares fossem as ruas e trouxessem todos que encontrassem pelo caminho.
-Mas como todos? Indagaram os auxiliares.
-Todos literalmente, sem escolha. Quero a casa cheia de quem quiser vir.
Assim os  foram cumprir a determinação e vejo bem como numa cena de Hair (que adoro): A casa foi enchendo de gente de todo tipo, mas todo tipo mesmo: pedintes,, andarilhos, bêbados, prostitutas, moradores de rua... A casa ficou cheia de gente pronta pra sobreviver.
O dono da casa não precisou se explicar, a casa era dele e não importava quem ele era. Ele alegre e feliz já na entrada dizia :
-Sejam bem vindos! Minha casa hoje é também de vocês.
Segundo minha imaginação essa foi uma noite feliz e farta para todos. Ninguém armado de defesas ou disfarces, ainda que alguém tivesse uma faca ou canivete não se sentiu ameaçado pra ter de usar. Na verdade todos se "viam" como" iguais " e o "respeito" gerou a "harmonia".
Me vejo literalmente dentro dessa parábola nesse exato momento da vida.
Tenho algo bom que me acontece: tenho um tesouro e fiz escolhas pra dividir, porém não fazem caso. Se a escrita é minha voz, então faço dessa publicação minha festa e compartilho com Vocês. 
Se escritores conceituados, com livros lançados ou não, se jornalistas estudados ou não, se poetas ou não, se simples ou sofisticados em suas escritas; pra mim são todos pessoas. GENTE como Eu. Porém, não sabem quem sou além da minha escrita aqui; e sei o mesmo de todos. Porque a ESCRITA, A PALAVRA é nosso ELO. Não pensem que os comparo aos personagens da parábola em classe social, mas sim na categoria "GENTE" que é que o todos somos e o que importa "de fato" . Por isso compartilho e somo agora com todos que passarem por aqui pra ler, na verdade pra me ler o que não quiseram ouvir ao pé do ouvido .
Desejo que sejam participantes minha alegria.  
Hoje é dia de celebrar, de sentar ao redor da mesa e relembrar que tentei, porém não me deram a honra e a destra da companhia, não os que eu quis comigo por opção. Creio que cansei de tentar me explicar e de tentar ... 
Não se preocupem em postar comentários de preocupação, sou grata mas estou bem de verdade. Hoje é tempo de celebrar... esse hoje pode durar dias semanas... depois será tempo de calar. Mas depois só vem depois... Celebremos juntos o hoje com um bom vinho ou com uma água fresca  mas com vários brindes! Meu brado: Comamos e bebamos Hoje, porque Amanhã (ou seja no futuro distante ou não) morreremos todos... Até porque é um fato incontestável.
Linda semana pra nós entre sonhos e delírios
Catiaho Alc. Reflexo d' Alma
DEIXO CLARO QUE A PARÁBOLA É USADA DE FORMA A FIXAREM QUE
NÃO COMPARO OS CONVIDADOS DO PERSONAGEM COM NINGUÉM DA BLOGOSFERA QUE AQUI LÊ.
Canção
Aquarius


 E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não Nas escolas, nas ruas Campos, construções Caminhando e cantando E seguindo a canção... Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x) Pelos campos há fome Em grandes plantações Pelas ruas marchando Indecisos cordões Ainda fazem da flor Seu mais forte refrão E acreditam nas flores Vencendo o canhão... Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x) Há soldados armados Amados ou não Quase todos perdidos De armas na mão Nos quartéis lhes ensinam Uma antiga lição: De morrer pela pátria E viver sem razão... Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x) Nas escolas, nas ruas Campos, construções Somos todos soldados Armados ou não Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não... Os amores na mente As flores no chão A certeza na frente A história na mão Caminhando e cantando E seguindo a canção Aprendendo e ensinando Uma nova lição... Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer... 
Geraldo Vandré
Porque há o direito ao grito.Então eu grito." Clarice Lispector
Pois bem, quero compartilhar aqui o que tento calar e que tentam não ouvir.
Que vocês amigos da blogosfera e leitores, porque poucos são amigos de fato na essência do que significa porem muitos são de fato leitores. Quero marcar essa semana que começou hoje domingo quando fecho algo que define meu futuro profissional. Tenho poucos com quem contar e menos ainda com quem compartilharO mundo se faz surdo,mas não sou mais muda ,nem mais sou o ser que jogava o olhar pro chão com medo da vida,muito mudou em mim nesses últimos 12 meses e mais nos exatos 30 dias e mais de 21 de maio em diante.
Falando em surdês e atitude a verdade é que há uma parábola num livro que tenho por bússola e que respeito; diz que : Certo homem de bem se preparou pra dar uma grande festa,convidou a sociedade local,pessoas ditas dignas e de bem.Mas só que a alegria era só do cidadão que desejava compartilhar seus tesouros e conquistas.Cada um convidado pra se esquivar de estar com ele deu sua desculpa,uma mais esfarrapada que a outra e assim não sobrou ninguém na lista que se dispusesse dividir com ele a mesa farta.Então ele magoado por dentro,mas firme por fora mandou que os empregados fossem as ruas e trouxessem todos que encontrassem pelo caminho.
- Mas como todos?Indagaram os servos.
- Todos literalmente,sem escolha.Quero a casa cheia de quem quiser vir.
Assim os servos foram e vejo bem como numa cena de Hair(que adoro):A casa enchendo de gente de todo tipo,mas todo tipo mesmo.Mendigos,andarilhos,bêbados, prostitutas,meninos e meninas de rua....
A casa ficou cheia de gente pronta pra sobreviver.
O dono da casa não precisou se explicar,a casa era dele e não importava quem ele era. Ele alegre e feliz já na entrada dizia :
-Sejam bem vindos minha casa hoje é também de vocês.
Segundo minha imaginação essa foi uma noite feliz e farta para todos,. Ninguém armado de defesas ou disfarces,ainda que alguém tivesse um faca ou canivete não se sentiu ameaçado pra usar. Na verdade todos se "viam" como" iguais "e o "respeito" gerou a "harmonia".
Me vejo literalmente dentro dessa parábola nesse exato momento da vida.
Tenho algo bom que me acontece:tenho um tesouro e fiz escolhas pra dividir ,porém não fazem caso. Se a escrita é minha voz , então faço desse post minha festa e compartilho com todos da blogosfera. Se escritores conceituados, com livros lançados ou não, se jornalistas estudados ou não, se poetas ou não, se simples ou sofisticados em suas escritas pra mim são todos pessoas.gente como eu. Porém,não sabem quem sou além da minha escrita aqui e eu sei o mesmo de todos.Porque a escrita é nosso elo.Por isso não pensem que os comparo aos personagens da parábola em classe social,mas sim na categoria "gente" que é que o todos somos e o que importa "de fato .Por isso divido agora com todos que passarem por aqui pra me ler ,o que não quiseram ouvir ao pé do ouvido .
Quero quero que sejam participantes minha alegria. Hoje é dia de dividir, de celebrar,de sentar ao redor da mesa e relembrar que tentei,porém não me deram a honra e a destra da companhia,não os que eu quis comigo por opção. Creio que cansei de tentar me explicar e de tentar ... Não se preocupem em postar comentários de preocupação, sou grata mas estou bem de verdade. Hoje é tempo de celebrar...esse hoje pode durar dias semanas...depois é tempo de calar. Mas depois só vem depois... Celebremos juntos o hoje com um bom vinho e um brinde ! Meu brado :Comamos e bebamos Hoje, porque Amanhã(no futuro distante ou não)morreremos todos....
Linda semana pra nós entre sonhos e delírios
Catiaho Alcantara Reflexo d' Alma
DEIXO CLARO QUE A PARÁBOLA É USADA DE FORMA A FIXAREM A .
NÃO COMPARO OS CONVIDADOS DO PERSONAGEM COM NINGUÉM DA BLOGOSFERA QUE ME LÊ.

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Com Texto - Com Canção - Com Versos



 O QUE É O AMOR

Meu avô era um grande fazendeiro.  Tinha uma bela propriedade, 
vários empregados e milhares de pés de café.
 Tudo o que precisava para ser bem-sucedido, 
mas nada que se comparasse ao que tinha o irmão. 
  Tio Júlio, o irmão mais velho do meu avô, estudara para chegar onde tinha chegado.
 Era honesto nos negócios, justo nas decisões e amigo do seu pessoal. 
 Sua honra e caráter não seriam suficientes para fazê-lo feliz se não
 ajudasse os que mais precisavam.  Segundo contou meu avô, 
tio Júlio tinha 80 anos e já arrastava os pés quando andava, falava c
om dificuldade e quase nunca saia de casa. 
Um dia apareceu uma senhora na fazendo oferecendo as terras para ele comprar.
 Titio se interessou mais pela filha que estava com ela do que pela proposta.
 Aos 19 anos a moça lembrava a mulher por quem fora apaixonado,
 na juventude, mas o trocara por outro com quem se casou. Alegando não ter
 quem tocasse a lavoura decidiu por vendê-la e ele seria sua primeira 
opção por isso o procurara. A filha era a cara da mãe quando titio a conheceu 
e preso a tais lembranças interessou-se pelo negócio.  Vovô não me disse qual
 dos dois teria levado vantagem na transação, mas disse que a filha,
 que gostava de homem mais velho,  se encantara por ele e ele por ela
 assim que se viram.  Tio Júlio, como conta meu avô, em seis meses
 fez tudo pela garota.  Coisas que a mãe lhe negara tio Júlio dava a ela 
sem pretender nada em troca. De um dia para outro tio Júlio mudara completamente.
 Era jovem e dinâmico. Não esquecia do que tinha falado 
e caminha ereto quando antes se arrastava. 
A voz era clara e não mais um suave murmúrio.
 Trocou o guarda roupa por um  mais esportivo. 
Ninguém dizia a idade que tinha.  Titio a amava e ela a ele. Cada um a seu modo. 
Muitos o julgavam, mas a ninguém, além dela ele ouvia.  
Antes titio deitava com as galinhas, como dizem por lá e 
só levantava depois das 10h, mas hoje, hoje acorda cedo e mesmo 
estando acordado a maior parte da noite no dia seguinte aparece animado,
 cheio de energia.  
 Um dia, quando foi à cidade,  viu a garota de braços com um senhor
 de meia idade, seu namorado, saindo de uma loja que vendia vestido para noiva.
 Mais um homem na vida dela.  
Titio jamais pensou que isso fosse possível. 
Dias depois a mocinha lhe disse que ia casar-se.  
Titio mandou que comprasse um bonito presente, mas não foi à festa. 
Ficou em casa.  No dia ele não se levantou como não se levantou 
no outro e no outro.   Cinco dias após o casamento a mocinha soube que ele
 havia morrido.  
Tio Júlio ficou cinco dias, deitado.  Sendo que no último virou-se para 
o canto morreu. Morreu de amor por uma mocinha que jamais soube do 
quanto era amada.  
Eu vi e ninguém me contou, uma lágrima embaçar os olhos cinza do meu avô.
  Chorei com ele.
                               silvioafonso
Can Ção
Carinhoso
de Pixinguinha
Com Paulinho da Viola e Marisa Monte

Com Versos


Que Venha

Quero que venha,
não por fazer o caminho,
nem pra completar a jornada;
mas que venha.
Venha porque há um desejo
imenso,
intenso...
Um desejo impregnado de uma vontade,
de uma ânsia
impregnada
                            de algo muito mais forte                       
que qualquer paixão.                                   
 Na verdade
não quero apenas que venha,
por vir,
por só achar que vem.
Mas que venha porque
é um desejo imperativo de tal forma
que o impulsione                                      
 e que nesse ato
haja sentimento profundo tal
que ainda que tudo diga que não virá,
que não vale à pena
ou que não tem objetivo;
tenhamos a certeza
mais que tudo
de que já é certo
e definido
que logo
estará aqui.
Por isso
venha.
CatiahoAlc./Reflexo d’Alma

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Con Versa : Porque escrevo. - Com Canção - Com Versos

 
Com Versa

Porque escrevo?

Meu compromisso é com a PALAVRA. e muitas vezes já refleti 
sobre esse assunto e a conclusão é sempre a mesma. 
Eu escrevo porque gosto e porque acredito que minha escrita tem um papel 
não somente na literatura brasileira bem como na vida de quem me dá o 
privilégio ler o que escrevo. Simples assim.
Escrevo desde menina. Vi minha mãe ler por toda minha vida, 
mas nunca a vi escrever. Eu escrevia em cadernos e os escondia em 
baixo do colchão da cama que fosse minha. 
Minha 1a escrita premiada foi na 7a série e foi sobre o livro Vidas Secas.
Enfatizei minha leitura escrita na cena da família junto com a cadela Baleia. 
Já a 1a incursão da minha escrita em  público foi em um retiro de carnaval em 1979, era uma linda poesia que precisei criar, decorar a tarde sem ter escrito no papel e declamar para 80 pessoas a noite.
Destruí meus escritos 2 vezes na minha Vida. Uma foi quando noivei em agosto de 1981. Eu ia casar e achei que os escritos de uma menina não teriam lugar na vida de uma mulher casada. Queimei vários cadernos. Mas eu estava apaixonada e nem percebi a tolice que fazia queimando.
A outra vez, eu já escrevia para teatro amador,  mas as poesias eram meu segredo. Um dia eu precisava me despedir de uma pessoa e os meus poemas eram parte desse adeus, então sem testemunhas em uma noite de lua cheia, fui para o terraço e queimei tudo. Se da 1a vez eu não chorei, dessa me acabei de chorar, mas acreditava ser necessário.
Tudo que escrevi nessas duas etapas da minha vida eram relatos da vida de uma menina. Eram dores, desabafos e elaborações. De uma coisa tenho certeza: NUNCA MAIS PRETENDO DESTRUIR NADA DE ESCRITO MEU E NÃO FICO CONTENTE QUANDO SEI QUE ALGUÉM O FEZ, POIS O QUE ESCREVEMOS NÃO É MAIS NOSSO E SIM PATRIMÔNIO CULTURAL DA LITERATURA DO NOSSO PAÍS.
Dessa fase em diante passei de fato a compor poesias e textos conscientes de que  escrever é meu talento, minha forma de comunicação com o mundo. Nesse tempo a amiga afilhada e atriz Líbia, nos emprestou 10 cheques para possibilitar a compra do nosso 1° Computador, era 1997. Então conheci o Word e suas maravilhas, eu ainda escrevia em papel, mas passava a limpo no Word, tempo de Orkut e MSN... saudade do MSN. Daí pra frente minha escrita ganhou os palcos e já como profissional de Teatro eu  criava para trabalhar. Confesso que ainda não sabia o alcance da minha escrita. Eu sempre fui meio bicho e era normal  fazer as coisas por instinto. 
Os primeiros autores que tive acesso a textos foram João Almeida (Diretor Teatral), Ed Dias (Ator e meu Assistente de Direção) e Marco Antônio (Músico e Compositor). Eu adorava conhecer pessoas que escreviam tão bem. E eles apreciavam interpretar textos meus. Era uma troca justa. Foi quando conheci Tonni Lima que via Orkut seguia meus filhos como artistas e que passou a me dar dicas sobre a área da literatura. Eu chorava muito, pois Tonni era duro comigo e eu nem imaginava a razão. Vim saber quando ele generosamente indicou meu nome para Acadêmica Imortal Correspondente na Oficial Academia Tijuquense de Letras em SC, onde fui aceita e depois mais tarde tive meu nome indicado para o Prêmio Clarice Lispector, no RJ e que fui contemplada.
A Vida seguia e resolvi abrir meu primeiro Blog, era simples, minha escrita era rudimentar mas verdadeira. Uma vez em especial recebi um e-mail e Moça dizia que era minha leitora e que meus poemas e textos a ajudavam muito nas sessões de quimioterapia. Antes de ir pro INCA ela imprimia meus textos e levava para ler durante cada sessão até que o tratamento terminou, mas  ela continuou lendo meus textos mesmo curada. Essa foi a 1a vez que entendi meus textos como Espelho, Reflexo e criei meu pseudônimo Reflexo d'Alma. Lancei meu 1° livro meio no escuro, ainda segui um bom tempo por instinto. Um dia no meio desse caminho que chamo de Vida esbarrei com  o Blog do Palhaço Poeta, sinceramente foi por ter a nomenclatura da profissão que meus filhos estavam estudando, acabei por me tornar leitora assídua, pois encontrei uma escrita clara, atual e com humor. Depois por retribuição  nos tornamos leitores. Fomos aos poucos nos tornando amigos de blogs, ele com a sabedoria de jornalista experiente sutilmente passou a me dar dicas e toques na escrita, tudo tão leve que eu assimilava sem me sentir desrespeitada.
A preocupação com a falta de espaço e de respeito com os novos autores me impulsionaram a me tornar Editora e Assessora Editorial e foi dessa forma que silvioafonso, o Palhaço Poeta me contratou para editar e publicar seu 1° livro  que e foi no lançamento desse livro no SESC SG que reuni: a Libia que possibilitou a compra do nosso 1° computador, o João Almeida que aprecio a escrita e o silvioafonso o Palhaço Poeta e sua Família e a minha Família.  Foi um feliz encontro. Hoje somos todos muito mais que amigos, somos Família pois além de Prefacista do Selo Parceria&Poesia e nosso amigoafilhado.
E todo esse texto é pra deixar claro que a MINHA ESCRITA é VOCAÇÃO e tem o OBJETIVO principal de REUNIR PESSOAS ao REDOR DA PALAVRA.
Tenho sido feliz no meu objetivo e o mais importante e que se me ENTRISTEÇO quando alguém que conheço deixa de escrever, e EXULTO ou seja ME ALEGRO MUITO quando retornam para a ESCRITA.  a coisa mais comum durante o centro da pandemia foi de pessoas fechando Blogs e deixando de escrever, como se já não bastasse os que morreram como a Dina e o Steban.
Não ganho nada com isso que não seja a satisfação de saber que cada um deve ser feliz fazendo o que nasceu para fazer bem. Eu por exemplo: ESCREVO Porque AMO ESCREVER.
Catiaho Alc./Reflexod'Alma

Porque escrevo.

Porque escrevo dia a dia
sem cessar e sem
pela vida me deixar 
abalar?

Eis a razão que me trás
alegria e vontade 
de escrever sem a inspiração 
perder:

Escrever é alento
é alimento e real vontade 
de acima de tudo
sobreviver.

Escrever é luz
é calma, confiança,
é esperança e
alma.

CatiahoAlc./Reflexod'Alma

Com Canção
Palavras ao Vento com
Cassia Eller


Com Imagens






























domingo, 17 de outubro de 2021

Com Versos - Com Canção - Con Versa - Com Imagens

Com Versos
Sobre

Sobre a página da 
vida
Meus sonh
os vou 
desenhar
Quero cores bem 
vivas
Pra eu poder me 
expressar
A cada cor quente 
desejo
Passar o meu 
calor
E nunca deixar que a 
tristeza
Apague o meu 
valor
Espero manter a 
esperança
Que brilha no olhar 
contente
De uma bela 
criança 
que vive a toda gente
encantar
catiahoAlc./Reflexod'Alma
Poema  Livro Reflexod'Alma
(meu 1º livro)

Com Canção 
Béd BeatBédi 
Canção de Duda Beat e Zé Ibarra




Com Versa

O Rappa

Qual a Paz

 Com Versos


Penso que a vida é pra ser boa e que se não é; a responsabilidade é de cada um que opta por criar tempestades ao invés de calmaria. Sempre vou preferi calmaria, mas se for preciso crio ou alimento uma boa tempestade se desse movimento depender a minha paz 
como diz a canção do Rappa, qual a paz.
Eu sou praticante de um versículo bíblico que diz assim:
"!Quando depender de vós; tende paz com todos." Romanos 12:18.
Todavia nem sempre depende da gente
viver em paz e precisamos mostrar nossa
força e nossa opinião.
Venho de uma família onde a minha mãe por toda vida até 
ela morrer manteve a cabeça baixa e a voz sequer era ouvida.
Mesmo sabendo não ser algo positivo eu e uma outra irmã
por um tempo agimos de igual forma. 
Minha irmã ainda é assim aos 56 anos; eu não mais.
reconheço que tenho algumas recaídas, mas sei que
não é bom para mim como mulher e muito pior como profissional.
Pandemia nos fez a todos: reféns em casa,
e muitas de nós acabamos por falta de opção por nos 
enterramos nas atividades domésticas.
Nada contra sermos eficientes, mas daí
a acharem que abdicamos de nossa Vida
é só um ponto para Eles. Eles quem?, familiares
e seres próximos a nosso dia a dia.
Por isso se precisar de uma Guerra para manter minha Paz: 
Tô pronta e Vocês?
Bjins 
CatiahoAlc./Reflexod'Alma

Nesse final de semana resolvemos dar
um passeio por aqui por perto mesmo.
A Pousada tem por nome Pousada Trancoso Adventure,
é um lugar muito simples com pessoas agradáveis;
mas rodeado de lindas praias.
De lá é possível em menos de 20 minutos
de ir para Guarapari (vou mesmo de passagem e para almoçar), 
ou Anchieta( praias lindas) ou Iriri (uma incrível festa de frutos do mar, recantos fantásticos e um comércio maravilhoso e com preços excelente; e é lá que compro os
adereços do meu jardim como os sapos por exemplo.
E foi o que fizemos e tivemos lindos momentos.
Assim o fim de semana fica mais gostoso.










sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Com Versa - Can Cão - Com Versos

 Con Versa
Impressões sobre uma Série que assisti.

Trocando sugestões de séries, assisti Round 6 por sugestão do filho mais velho. No último domingo quando veio almoçar conosco, a tardinha Ele assistia com o Pai e me chamou para ver o início da 1a prova. Fiquei curiosa e a noite do domingo mesmo comecei a assistir sozinha e segui com o par no feriado. Fiz o que chamam de maratonar e vi até o último episódio. Gostei e fiz minha análise como minha amigafilhada havia me perguntado o que achei, resolvi escrever essa resenha. Desde o filme Parasita tenho acompanhado o cinema Coreano com atenção. Assisti a várias séries e filmes e por último esse Roud 6, eles tem uma linha existencial, mostram o ser humano e  suas
 qualidades e mazelas. É possível ver não somente o outro através dos personagens e suas questões mas também a nós mesmos. Consigo ver que quem tem princípio tem e não se deixa manipular por outros ou por interesses. Nessa série vi reafirmado como o ser humano pode ser cruel a ponto de criar um jogo para o próprio prazer. Lá era dinheiro e prazer e na vida real os jogos são menores, mas causam males  igualmente nefastos. Por mim não deve haver uma 2a temporada. Não sei se assistirei, porque no meu pensar se tornará um tipo de vingança. E digo pra minha amigafilhada que gostei da série tanto que assisti direto. Sofri com as mortes frias. Sofri com a crueldade dos Vips. Sofri com a manipulação da ingenuidade do outro. Mas foi interessante ver o que é possível fazer para salvar a própria pele. E foi maravilhoso constatar que quem é do bem não se deixa manipular e nem deixa que sua natureza seja pervertida ou mudada. É isso.
CatiahoAlc. 
Trailer Oficial
 

Can ção 
A série Round 6 passa pela
linha da amizade, 
mas infelizmente de um só lado...

As brincadeiras da série passam
longe  da ingenuidade das crianças...
 
 Com Versos

Refletindo a Realidade

Nesse mundo de meu Deus
Tanta gente segue perdida
Mas e bom acreditar
Que a verdade nunca terá a validade 
vencida

Eu confio nas pessoas
Mas só fecho um olho só
Pois na hora do vamos ver
Cada um segue
sua
dita

Muitas vezes o que vemos na tevê
É um espelho da verdade
Basta a gente se vê
E aplicar a nossa
própria
realidade

Sou somente uma Mulher Poeta
Que segue a sua sina
 Aproveitando meu bem viver para ver e ler e minha 
poesia
escrever

CatiahoAlc.



terça-feira, 12 de outubro de 2021

Con To Riso de canto de boca - Can Ção - I Magens


       O telefone toca, olha, mas já não mais chama,
confere o número que desconhecido não inquieta,
logo em seguida entra uma mensagem que lê e não acredita em tamanha ousadia. 
Balbucia um palavrão enquanto relê o escrito ali,
nesse misto de susto, surpresa, sonho e fantasia de imediato a cabeça ferve, aliás ambas; ri de canto de boca como em momentos raros. Desliga o telefone, entende
que terá que aproveitar, pois por um dia inteiro não darão por sua falta, não terão tempo de procurá-lo, nem sequer cogitarão se existe, todos estão envolvidos em algo maior programado pra esse dia com certa antecedência,
já se preparara para nada fazer até que o solicitem
somente à noite. Depois do inusitado a verdade é que não tem tempo a perder.             
Sangue fervendo e mente fervilhando terá que manter a concentração para dirigir até onde deve e quer estar; calcula o tempo.                         Religa o telefone e relê o escrito, desliga e rápido
reúne o que precisa e se projetando pra dentro do carro arrancando com segurança, porém com a pressa dos que tem pouco tempo a perder.
       Agora vez ou outra ri de canto de boca e percebe isso
pelo espelho; deixa que arrepios corram de alto a baixo parando entre as pernas, outras vezes conversa com 
ele na tentativa de cessar a teimosia que o mantém de prontidão.
       Dirigindo com pressa, lembra do poema e recita quase sem perceber: "Agora sim, Café com pão, Voa, fumaça, Corre, cerca Aí seu foguista, Bota fogo na fornalha, Que eu preciso muita força, muita força, 
muita força..."
O que o leva a passar a mão entre as pernas mais uma vez e a olhar para o relógio em seguida; logo está no meio do nada, mas onde sem dúvida acontece uma grande conspiração a favor dos que ousam sonhar.
       Engraçado, já fez esse caminho tantas vezes e não notara aquele lugar em especial... É inusitadamente novo.
Para o carro, liga o telefone e mais uma vez lê e relê o que ali está escrito... desliga novamente e segue em direção ao lugar indicado, na recepção já o aguardam com as chaves.
Lugar simples, encantadoramente decorado combinando o moderno com o rústico. Na verdade só nota porque tem que passar pelos espaços, tropeça num tapete, mas com a destreza dos atentos se mantém de pé, como seu todo se mantém. A porta que corresponde ao número tem um 'não perturbe' preso... mas apenas encostada se encontra. 
Entra e lá dentro tudo é luz, janelas e cortinas abertas, natureza desavergonhadamente exuberante contraste entre o verde e o colorido da primavera... na cama totalmente inerte se encontra o alvo de seu pecado, o objeto de seus devaneios e sua noites de inquietação constante já há algum tempo... Chega mais perto da cama constatando que nada há sobre o corpo que não a pele que do sol mantém a cor... Como que hipnotizado não pela figura, mas pelo momento; perde a ação e a atitude, como menino diante de seu bolo de aniversário sem perceber vê-se puxado para o meio da cama, tem sua roupa tirada com cuidado enquanto cada parte descoberta é beijada e acariciada como tesouro precioso, a mão para no centro desse ser que não se entrega, mas que também pra si a ação retém...
Mas que permite ser explorado e depois levado ao banho não para acalmar os ânimos e sim para prosseguir a cada passo juntos, como se assim nascidos tivessem sido... 
       E da calma fez-se pressa, do sentimento excitação, do banho fez-se aproximação. Ali não havia céu ou inferno, bem ou mal. Apenas dois seres que se desejavam ter, ora ela o tinha, ora ela se fazia ter, davam-se e recebiam-se, saboreando-se como animais no cio, como que se única chance fosse essa que iriam ter.  Coisa de gente que não precisa avaliação fazer, ele dentro dela que gemia, ela dentro dele o fazia de prazer tremer e estremecer, riso e choro em êxtase por todo tempo se fazia...
O que falavam somente a eles pertencia, nem o poeta talvez soubesse descrever...
       Assim a manhã fez-se tarde, logo à tarde trás fim do dia... cama desfeita, janelas e cortinas já não mais abertas se faziam...
       Da forma que tudo começou agora já fim se fazia, já fizera vestido, ainda em riste, mas pronto pra vida seguir, do jeito que se deixou ser por ele encontrada ali em despedida sem choro ficou.
       Ele sai de costas até a porta para não perder a última visão d’ela sobre a cama, só a pele por vestimenta, pernas entreabertas em adeus quase agonia...
       Ela fecha os olhos antes de vê-lo partir,
       Ele fecha a porta e segue de volta tropeçando no mesmo lugar da entrada, sem graça entrega a chaves e sem pressa entra no carro, mais querendo ficar do que ir...
Na mente a canção com outra divergia: "Já está na hora de ir... com a outra: Amanhã de manhã... vou pedir um café pra nos dois...
       Liga o telefone por instinto e ha uma mensagem que lê: outra frase de canção:” no seu corpo o meu momento é mais perfeito” apaga e agora já é quase fixo o riso de canto de boca que o faz respirar fundo e ir de vez... Nada mudara... ainda.
       A viagem será rápida dessa vez e com a certeza de que ainda volta inteiro aos que o tem de fato, volta o homem de sempre, porém só um pouquinho mais feliz e com aquele riso de canto de boca ainda mais acentuado...   Se sonho ou fantasia, se segredo ou devaneio, já não importa, o vento refresca a face e em fim assim logo de volta onde ainda não procurado tinham, liga o telefone, apaga tudo que deve somente na mente ser lembrado, deixa  ligado e se deixa só guardar para si esse dia saboreando seu destilado em brinde que só ele e ela saberiam...
 CatiahoAlc./Reflexo d'Alma entre delírios e delírios
 23201204011
Can Ção
com Silva
Amantes

I Magem
O Jardim nessa manhã


Frases de silvioafonso















domingo, 10 de outubro de 2021

Con Versa - Can Ção - Com Versos

 

Con Versa

Pois é...

Sempre repito que nunca pedi muito a Deus pra minha vida:
pedi pra ser feliz e ponto.
Deus me atendeu e enriqueceu minha Vida com a Felicidade
e junto veio o Amor, a Maternidade com dois filhos, 
Casa Própria, Carro, Uma vida confortável, 
Uma carreira profissional fantástica, 
Amigos únicos e pra coroar Duas netas que me fascinam, 
sem contar viver há 15 anos nessa terra que chamo de Pasargada.
Vivo a Vida absorvendo cada fase, a mais complicada sem
dúvida está sendo esse apêndice de nome pandemia; que
está acabando.
Quero muito voltar a viajar para abraçar minhas Irmãs
e a Meus amigos dos quais tenho saudade intensa. 
E quero muito voltar a viajar a trabalho prestigiando
os Autores que me horam contratando meu trabalho de
Assessoria Editorial.
Meu caçula voltou a morar em SP e a casa voltou a
ser minha e do par, temos uma vida muito tranquila
e emocionante só faltando mesmo voltarmos a viajar
e assim nos preparamos para nosso aniversário de 40 anos
juntos em novembro.
Desejo a todos uma feliz semana cheia de tranquilidade
e alegrias.
Bjins
CatiahoAlc./Reflexod'Alma

Can Ção linda!
Com Duda Beat


Con Versos

Felicidade

Felicidade não um bicho de sete cabeças
É simplesmente a vida saber viver
Sentir a brisa na face
E ver sem pressa 
Tudo ao redor
Acontecer

Felicidade não é só dinheiro sobrando
Ou comida farta na mesa
É o que se tem saber administrar
E ao redor  de si
Quem se ama
Manter

Felicidade não é não ter problema
Pois é impossível passar pela vida 
Sem tropeços ou tristezas ter
Mas sim um dia de cada vez
Ir levando até  o novo dia
Nascer

Desejo que todos um dia consigam 
essa compreensão aproveitando
Cada fase somando risos e sorrisos 
Deixando com leveza a vida 
Sem pressa simplesmente
Acontecer

CatiahoAlc./Reflexod'Alma





.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações