Web Statistics

Minhas Frases preferidas desde sempre:

"A felicidade de um amigo deleita-nos.

Enriquece-nos. Não nos tira nada.

Caso a amizade sofra com isso, é porque (ela a amizade)

não existe."

Jean Cocteau

...

"Saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."

Rubem Alves

Seres Espelhados Espalhando Sonhos e Delírios como eu

Translate

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA

LEITORESAMIGOS, Vocês já devem ter notado que as Publicações no Espelhando são compostas de mais de um item: Um Texto - Uma Can Cão - uma Poesia - IMagens. Deixo claro que: 1- Sou a única responsável pelas publicações 2- e seus conteúdos. 2- OS Itens das Publicações é para que CADA UM AMIGOLEITOR SÓ LEIA O QUE DESEJAR: OU O TEXTO (CON VERSA) OU A POESIA (COM VERSOS) OU OUÇA A MÚSICA (CAN ÇÃO) OU AS IMAGENS (FOTOS). CONTO COM A COMPREENSÃO DE VOCÊS QUERIDOS LEITORESAMIGOS CatiahoAlc.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Quando Eu Era...


Quando eu era bem jovem
A vida era um mistério
Uma roda gigante
E um grande pula pula

Depois cresci um pouco
E a paixão encontrei
Amava o jovem o belo
Por muitos outros me encantei

Até que um dia
Num piscar d'olhos
O grande amor da minha vida
Com força eu abracei

A morte é um detalhe
Que só no final da vida
É certo relutando
Nos braços dela me verei

Ou Eu  com ela irei 
Ou os Meus ela consigo levará
E será com pesar 
Que numa dessas me verei

Enquanto isso não acontece o Viver é meu Carrossel
Sigo me divertindo na montanha russa da Vida
Vivendo Bem e Amando os Meus
 É certo que em meus dias assim Eu Viverei
CatiahoAlc/ReflexodAlma710290721650/TI




Em momento ou em tempo algum:
Que ninguém pense que eu aceito a morte como uma coisa boa ou a aceito resignada-mente. Sinto muitíssimo quando sei da perda de alguém que eu conheço seja de convivência ou da vida em geral.  Me entristeço de uma forma singular com a perda de alguém do meu meio profissional (literário e artístico). Não aceito a morte como descanso ou como alívio para ninguém. 
Sinto SIM como  PERDA IRREPARÁVEL. Aproveito pra citar um título de texto querido Palhaço Poeta "A morte é burra."

Refletindo sobre Quando Eu Era...

Bem jovem eu não pensava na morte.
Nem a morte dos meus pais ou irmãos e muito menos na minha.
Meu primeiro contato com esse evento promovido pela Vida, aconteceu aos dezessete anos.
E sim é promovido pela Vida sim, pois para ser pego pela morte é necessário viver nem que
seja no útero materno. Pois bem, eu era muito jovem quando alguém muito amado foi levado.
Se eu não pensara na morte até então, daí em diante mesmo é que a ignorei.
Depois ao me casar aos vinte anos, parei para pensar em como seria minha vida se a morte levasse
o amor da minha juventude. Lendo a bíblia eu tendi ser esse um assunto sem fim e sem questionamento. Voltei a pensar sobre ele somente muito tempo depois, aos vinte e nove anos quando  o amor da minha juventude enfartou bem na minha frente e no meio da rua. Nesse tempo eu precisei rever meus valores sobre o assunto ; morte. Entendi precisar seguir adiante caso Ele de mim fosse levado. Da mesma forma entendi ser preciso prepara-lo para o caso de eu ser a escolhida. Daí em diante com a vida adulta e de braços dados com a maturidade  eu passei a prática: Amar, dar devido valor aos amados meus, sejam eles quem sejam. Morem perto ou longe eles são valorizados todos os dias e o tempo a ser passado juntos deve ser tempo de qualidade. De forma e modo algum deixo de dizer e de demonstrar o quando me são valiosos e quanto  são insubstituíveis. Não me importando se acreditam ou se me acham repetitiva. Agindo assim não terei como me cobrar algo nem no presente ou no futuro.
Hoje aos cinquenta e três anos eu ainda não alimento temor da morte. 
Prefiro viver minha Vida com qualidade e junto aos que sabem o valor dela (da vida).
Se e Quando, ela vier, e ela virá; de qual  lado venha, eu sempre serei obrigada a aceitar.
Caso ela me leve, farei força para ela desistir.
Contudo não havendo como fugir Irei querendo Eu ou Não.
Caso ela leve algum dos que tenho apreço, Eu espernearei, sofrerei e com o tempo terei de me conformar com a lembrança dos bons dias. 
Não esperem de mim pensamentos de martírio ou medo dela antes da hora.
Eu não sofro por tabela, a vida e o dia a dia já me levam a viver um dia de cada vez, não darei a morte o meu ibope: Basta a cada dia o seu próprio mal, já nos disse o poeta.
 Num É?
CatiahoAlc/ReflexodAlma710290721650/TI


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Pois É... Eu penso assim.



Penso e repenso
Canto e me encanto
No tempo e fora do tempo

Pois É
Eu penso assim

Creio no futuro
Respeitando o passado
Trabalhando no presente

E quando  o tempo chegar
E a morte chegar
Que seja como tiver de ser


Por hoje busco minha paz
Me alegro com as cores
Que a Primavera sorridente me traz
CatiahoAlc./ReflexodAlma

710290522138/TI

Reflexão

Pois É... Eu penso assim.
Nesse final de semana muito se brincou com a questão de que o Mundo ia acabar.
Entretanto esse é um assunto complexo demais; por isso leva ao ceticismo e a zombaria.
Melhor disfarçar e brincar com ele. Melhor não pensar sobre ele.
Todavia dentro da gente sempre há esperança para uma reflexão e um acerto de
contas da gente para  com a gente mesmo (pode ter ficado feio, mas é como eu quero escrever).
E esse é o acerto mais complicado, pois dos outros é possível fugir. Já da gente Não.
São tantas mascaras as usadas por nós para cada momento do dia, da noite e da vida...
Na Verdade, aquele espelho (imaginário pra alguns e verdadeiro para outros como eu)
 da nossa altura está e estará sempre na nossa frente. Não apontando o dedo em acusação.
 Mas sim mostrando nossos pontos negativos acentuadamente pedindo socorro e nosso
relutar apenas adia a hora do acerto de contas.
Faz um tempinho que aprendi e faço pratica dessa verdade:
Meu mundo acaba todos os dias quando me vejo envelhecendo.
Entretanto ele renasce quando me dou conta da minha boa saúde e do quanto lúcida ainda sou apesar de meu avanço cronológico.
Meu mundo acaba  quando não consigo ser entendida/compreendida claramente por mais que minhas palavras sejam simples quando proferida aos que eu amo,
Todavia meu mundo  renasce quando recebo o abraço dos que me querem bem e sinto deles o afeto mesmo sem sequer proferirmos uma palavra só palavra.
Entendo ser assim com todos:
Mundos acabando e renascendo todos os dias e a todo momento.
Meu mundo independe do mundo físico e visível.
Meu mundo apenas segue adiante todo tempo.
Pois É...
Eu penso assim.
CatiahoAlc./ReflexodAlma
710290522138/TI


sábado, 23 de setembro de 2017

Três Faces de Um Mesmo Entardecer de Primavera.


Coisa boa nessa vida
É cada dia viver
Sem pressa e com vontade
Com certeza a pena vai valer

Sempre levei tudo
Muito a sério
Família e Fé
as Pessoas mais que tudo

Deixei passar tanto tempo
Sem a vida de fato apreciar
Mas nesse tempo do hoje
Tenho a chance de acertar

Vi ontem o primeiro entardecer
Dessa nova Primavera
Em minha pele me permiti
Senti a brisa e o sol aquecer

Hoje essa dose repeti
Voltei ao ponto de partida
E essas três faces desse entardecer
Tive a alegria de registrar o acontecer
CatiahoAlc/ReflexodAlma
710709232121/TI



sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Lembranças Acesas para saudar a Primavera









Aquele cheiro suave espalhado no ar
É como se puxasse de dentro da gente
O melhor dos pensamentos
Lembranças de coisas até mesmo não vividas
Contudo está gravada como uma tatuagem viva
Assim a Primavera chega de mansinho
Porém os botões já abertos deixar escapar
Esse aroma delicioso
Trazendo junto desejos tão bem guardados


Nos jardins as flores *pocam juntas *(explodem, arrebentam,abrem subitamente)
Em uma explosão  multicores
Tal qual o Menino do dedo verde
Me alegro com essa profusão toda
Permitindo vir à tona novamente
O Desejo de ver a vida  enquanto danço
Como acontece com as Princesas doze do Conto de Fadas
Que fugiam todas as noites para dançar com seus Príncipes
No Vele do Encanto
Meu encanto é a Vida vivida ao lado do que me tem
É minha família e meus amigos mais chegados que irmão
Ao redor da Mesa da Vida rodeada das flores das lembranças
Acordadas e bem acesas  hoje com o chegada da Primavera
*expressão capixaba, verbo pocar*
CatiahoAlc/ReflexodAlma entre sonhos e delírios de Primavera
710209210904/TI














quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Aguardo SIM com Alegria




Com certeza a Primavera
Que vem chegando de mansinho
Colorindo toda parte
Não são somente as flores
Que vem pra alegrar a gente
Mas é um clima diferente
Espalhando a esperança
Em forma de borboletas
E Eu que sou Mulher Poeta
Vou deixando por aqui
Minhas humildes letras
Que venha a Primavera
Aguardada com alegria
Para enfeitar até o Verão
O nosso Dia a Dia
CatiahoAlc/Reflexodalma
 entre sonhos e delírios de pre primavera
710290211012/TI


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Epifania dádiva para poucos


De um momento  para o outro o pensamento se desconectou da realidade e voou para um tempo e um momento quase guardado de vez no fundo da memória. A Moça entrou em um tipo de transe. 
Estava em uma sala de espera e deveriam demorar a chamar seu nome, para então dar forma ao sonho antigo, sonho este que nem vem ao caso. 
Na verdade o devaneio sim, esse tomou conta do semblante de Emiliana, -lembro do nome por ter ouvido alguém confirmar com ela em alta voz: Sra Emiliana Sam de Almeida? -ela levou o braço e nem mesmo falou,  o elevar de mão já foi suficiente para a tal confirmação. A Moça nem era jovem demais e muito menos com idade a mais, era na verdade somente uma mulher com um brilho no olhar, em verdadeira catarse. 
Eu, ali sentada bem a sua frente observava sem me deixar notar. As vezes ela piscava várias vezes e secava os olhos com um lencinho tão mimoso e bonitinho a ponto de chamar atenção. Outras vezes a Moça balbuciava palavras misturadas, talvez eu até entendesse se ela o fizesse um pouquinho mais alto. Entretanto lembro bem de ouvir: 'aquele danado' outra vez consegui ler em seus lábios: 'esse gosto bom voltando' e a ultima coisa que pesquei foi 'eu quero novamente sim'. Seus seios estavam sinalizando marcando a blusa fininha; uma vez ela torceu os lábios e apertou bem as pernas.
-a gente mulher sabe bem o significado desse pequeno gesto.
Não pensem ter ela algum aparelho eletrônico em mãos ou um desses fones que deixa as pessoas parecendo  desvairadas falando sozinha rua a fora. Eu absolutamente creio ser realmente um daqueles raros momentos de pleno frenesi em total epifania.
Era ela e seus delírios.
Eu ali em sua frente sendo quem sou entendia claramente o quanto era epifania, pois é algo muito comum nessa minha mente poeta. Gostei de observar e de sentir o quanto o universo de cada Ser é Único, Independente e Completamente livre.
Seja lá o que levou a Moça até aquele lugar onde os profissionais são especializados em ouvir e ouvir seja lá o que lhes for dito. A verdade é que chamaram a Moça: -Sra Emiliana Sam de Almeida! 
-ela sem perder o brilho do olhar e o rubor face, levantou, suspirou e deliciosamente passou a lingua nos lábios (como se tivesse sede)  disse: - Muito obrigada. Para o espanto de todos ali, girou os calcanhares e foi EMBORA, feliz feliz com seja lá o que a deixou assim naquele delicioso estado delirante de Epifania.
CatiahoAlc./ReflexodAlma/TI
vivendo meu momento de Epifania ao escrever esse texto 
18:13h de segundafeira, 18 de setembro de 2017/TI

domingo, 17 de setembro de 2017

Não sei ...


Não sei choro ou se sorrio
Não sei me retenho ou se me contenho
Não sei se grito ou se me calo
Mas sei que farei que for certo pra mim
Se gritar o farei com força
Se silenciar será por atitude
Se sorrir ou chorar será por prazer
Mas me entregar é certo
Sem reservas ou limites
Me entregar é exercer minha liberdade
Ser plena é que nasci pra SER
Isso é certo que SEI

CatiahoAlc Reflexo'Alma
entre sonhos e delírios
TNI

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Como se em meio do Mar



Em meio ao movimento do mar o corpo se deixa
se encosta
se encaixa
Nesse vai e vem que a roda  
da vida
 girar faz
Inauditas
Entretanto plenamente 
sentidas
divididas
estendidas
E o corpo que no do outro se
completa
invade
toma posse
Nada retendo
negando ou
não permitindo
Como se no meio do mar nesse momento o ser estivesse
São cheiros que se encontram
Gozos que se procurando
 e se misturam
Em bocas que se pedem
Corpos que não se perdem
Desejos que sempre  regem
Como se se no meio do mar 
Tudo 
Nada se fizesse 
ou desejasse acalmar
latejando
 aumentando o desejar
que cedem 
aos gritos e gemidos  da
explosão final
para  tudo por um tempo 
deixar pleno
o que agora
só silêncio   
faz...
CatiahoAlc//ReflexodAlma205019 04 011 
Eu na Catedral de Vitória em pleno êxtase do concerto 





eN tÃO...



Nu dEz
Carne
 ex posta
Peitos
 à mos tra
Braços
 aber tos
Respi ração
 ar fando
Sexo lat ejando
Coração vaz io
Alma er rante
Sonhos des feitos
E a carne que gri ta
desejo que or dena
A saudade que quei ma
A carne expos ta mostra
peito arfan do  errante
Coração Vaz io em
Sonhos desfei tos
Queimando saudad es expostas
Abraço que junta ped aços
Bocas que em des ejo se juntam
Em sexo se refaz er
como esses vers os
sem nex o 
Poema em nu dez 
se diz er
e se  faz er

CatiahoAlc/Reflexo d'Alma entre delírios e delírios 
17471605011

terça-feira, 12 de setembro de 2017

SemPrE Outro DiA É

Eu em visita a Oficial Academia de Letras de Tijucas/SC/2014

S
empre uma palavra 
Forte
Talvez uma forma de
Esquiva
Nunca um jeito de
Fuga
Entretanto todo dia
Outro
Dia è e a roda da
Vida
Gira querendo a gente ou 
Não
Contudo a gratidão bem nos
Faz
E viver um dia d ecada
Vez
Dádiva divina
Viver 
Outro dia
SemPrE 
É
CatiahoAlc/ReflexodAlma/TI
12 de setembro de 2017,09:24


domingo, 10 de setembro de 2017

Dizer NÂO é Preciso



Aprendi da forma
Errada
Que todos sempre tinham
 Razão
Eu sempre me fiz
Ajustar
De acordo com as
Vontades
Não as minhas sempre as dos
Outros
E muitas vezes  a de
 Todos
Mesmo em contraposição com a tal da
Razão
Há o certo e há o
Errado
Entretanto o que
Eu
Levo de  fato em
Conta
Minha vontade e
Coerência
Vivi tempos de muito abrir de
Mão
Hoje o Não me faz diferença
Toda
Assim com cabeça
Erguida
Mando as favas a tal da
Razão
E digo sem medo e sonoramente
NÃO
CatiahoAlc./ReflexodAlma
Pasargada,10 de setembro de 2017,1958h
TI


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Sobre

Foto tirada em Penedo/RJ por nosso amigoafilhado

Sobre a página da vida
Meus sonhos vou desenhar
Quero cores bem vivas
Pra eu poder me expressar
A cada cor quente desejo
Passar o meu calor
E nunca deixar que a tristeza
Minimize o meu valor
Espero manter a esperança
Que brilha no olhar contente
De uma bela criança
Que vive a encantar a gente
CatiahoAlc/Reflexod'Alma
Texto de 2007


segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Nesse tempo de Flores



Não consigo deixar de pensar na bela mensagem 
deixada pelo livro "O menino do dedo verde"
Juro queria esse dom
 Entretanto não usaria para
Chamar atenção de quem vive em guerra
Essa guerra de verdade com canhões e bombas
Como cita a história
Eu usaria para tocar de leve o dedo nos lábios
De seres amargos cheios de palavras de desânimo
De seres espelhadores da falta de esperança
De seres que usam as palavras como arma para calar
Até mesmo os pensamentos que eles por falta
De sensibilidade não compreendem a dimensão
Também usaria pousar de leve meu dedo nos lábios
Daqueles que ao invés de saborearem o presente
E as coisas boas que acontecem todo tempo
Quando ameaçados lembram de um erro cometido pelo
Outro e já verbalizado e considerado como superados
E quando já me desse por quase satisfeita
Daria um jeito de pousar meu dedo bem de leve
Nos seres que esqueceram de ser gentis com os seus
E daqueles que já esqueceram como é ser acarinhado e bem tratado
Eu com certeza não esqueceria de pousar meu dedo nos lábios dos que
Esqueceram de como sexo com quem se ama é gostoso
E pousaria com certeza o dedo nos lábios daqueles que não entendem que nem sempre o corpo está pronto para esse deleite
Há tempo para o sim e tempo para o espere nessa tão complexa prática
Em fim se o Menino do dedo verde conseguiu provocar a Paz através das flores
Eu mesmo uma reles mortal e muito menos personagem de algum autor eu sou
Eu desejaria e desejo ver e sentir as pessoas mais amenas 
 Mais afetuosas
Menos amargas 
Menos prontas para o ataque como defesa
Mais prontas aos pactos em prol da harmonia
E totalmente acessíveis ao afeto e ao sexo pleno sem esquivas
Todavia repito 
Não para cansar quem me lê aqui
Mas para enfatizar que não sou personagem como do livro-infanto juvenil 
Escrito por Maurice Druon em 1957 O menino do dedo verde
Mas sou a Mulher Poeta Catiaho e como Reflexod'Alma
Posso me indignar com os seres de cenho sombrio 
Com  palavras opacas sem esperança
Seres  com a palmatória em riste pronta para entrar em ação
E castigar com palavras atos covardes
Não em quem errar com atitudes dúbias ou erradas 
Mas em quem se mostrar pronto para aprender e a levar
Da vida tudo que ela tiver de melhor para oferecer
Repudio a esses seres e prefiro sonhar em poder
Tocar na maioria deles com minhas simplórias palavras
Sempre com  Palavras de alegria
Com Palavras de Esperança
Com Palavras de Paz e muitos bons trabalhos
Que tenho por resultados da positividade do meu viver
A Primavera me trás essas reflexões que preferi até hoje deixar
 Guardada em arquivos somente ao alcance de meu olhar
Mas hoje deixo um basta aos textos engavetados e ao silêncio 
É isso.
Clarice costuma muito bem  dizer
"Porque há o direito ao grito. 
Então eu grito."
Clarice Lispector LISPECTOR, C. A Hora Da Estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

Feliz e eficaz semana a todos
Catiaho Alc.
Segunda-feira 04 de setembro de 2017, 10:00h./TI

Vale à Pena:
Abaixo Confiram se conseguem baixar o livro O menino do dedo verde gratuitamente nesse site http://lelivros.stream/book/download-o-menino-do-dedo-verde-maurice-druon-em-epub-mobi-e-pdf/

E minha saudação a Poeta que Amo!
Uma Frase e Poesias de Cecília Meireles

"Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira."
Cecília Meireles , Antologia Poética. 
Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2001.

Recado aos amigos distantes

Meus companheiros amados,
não vos espero nem chamo:
porque vou para outros lados.
Mas é certo que vos amo.

Nem sempre os que estão mais perto
fazem melhor companhia.
Mesmo com sol encoberto,
todos sabem quando é dia.

Pelo vosso campo imenso,
vou cortando meus atalhos.
Por vosso amor é que penso
e me dou tantos trabalhos.

Não condeneis, por enquanto,
minha rebelde maneira.
Para libertar-me tanto,
fico vossa prisioneira.

Por mais que longe pareça,
ides na minha lembrança,
ides na minha cabeça,
valeis a minha Esperança
Cecília Meireles

Segundo motivo da rosa

Por mais que te celebre, não me escutas,
embora em forma e nácar te assemelhes
à concha soante, à musical orelha
que grava o mar nas íntimas volutas.

Deponho-te em cristal, defronte a espelhos,
sem eco de cisternas ou de grutas…
Ausências e cegueiras absolutas
ofereces às vespas e às abelhas.

E a quem te adora, ó surda e silenciosa,
e cega e bela e interminável rosa,
que em tempo e aroma e verso te transmutas!

Sem terra nem estrelas brilhas, presa
a meu sonho, insensível à beleza
que és e não sabes, porque não me escutas...
Cecília Meireles

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

Cecília Meireles



.

Ei!

O que estou escrevendo aqui NÃO É PESSOAL E NÃO SE

REFERE A NINGUÉM DA VIDA VIRTUAL E SIM DOS MEUS VIZINHOS

DE BAIRRO, OK?

Escrevo aqui para me expressar somente. Penso que estamos vivendo mais um dia e que devemos ser gratos a Deus e aproveitarmos todo aprendizado que esse dia nos trouxer. Devemos: usar máscara, mesmo os já vacinados , usar álcool gel, lavar as mãos ao chegarmos da rua, deixarmos os sapatos do lado de fora até serem limpos, evitarmos contato físico com pessoas que não vivem no mesmo recinto, evitar viajar (sem ser necessário) viajar a lazer nem pensar, não é hora de lazer, ainda que secos para tal estejamos. Eu ando com muita saudade dos meus amigosafilhados, das minhas irmãs e meu cunhado e de ver minha casa no RJ que está fechada desde janeiro de 2020, quando lá estive. Uma coisa tem me chamado muito a atenção: Parece que já terem sido contaminados e terem sobrevivido e a possibilidade da vacina, já deu a algumas muitas pessoas a ideia de estarem totalmente livres de contaminação, bem como os que já tomaram a vacina e passaram a ficar descuidados. Isso me preocupa muito. Estou reclusa em casa com meu marido e filho caçula há mais de 1 ano, vejo muito pouco meu filho mais velho, esposa e filhas que moram na cidade vizinha. Detesto não me sentir livre para ir e vir e mesmo para caminhar na orla que fica ha 3 ruas da minha casa. Vamos resistir mais um pouco, vamos preservar nossa saúde física e mental o mais que pudermos. Por hoje é o que eu penso; caso entendam que eu esteja errada: me perdoem. Bjins de bons dias a todos. CatiahoAlc.

Postagens mais visitadas

Atua LIz Ações